Blumenau - Sc

 
Construída com material importado da Alemanha e inaugurada em 1931. Possui extensão de 315 metros e altura de 18 metros. Até meados de 1970, serviu de passagem para o trem que ia de Blumenau a Itajaí, transportando alimentos e produtos industrializados, por isso ficou conhecida como Ponte da Estrada de Ferro. Hoje, serve de ligação entre o centro da cidade e o bairro Ponta Aguda. Próximo à ponte foi construído o Mirante, que marca o ponto de chegada dos 17 primeiros imigrantes. Local privilegiado para aqueles que querem captar belas imagens.
 
 
Praça da Paz
 
Inaugurada em 2006, em comemoração ao centenário do Rotary Clube de Blumenau. Nela consta um monumento artesanal, em aço inox, com 2m de diâmetro. O Globo com as mãos abertas é um convite à paz, simbolizando a união com todos os povos da Terra .
Praça Victor Konder
 
Inaugurada em 1928, contempla o Marco Comemorativo à Independência do Brasil, o Monumento da Poesia e o Busto Victor Konder. Em 1930, o busto foi arrancado do pedestal e atirado ao Ribeirão da Velha, pelos revolucionários getulistas. A recolocação só aconteceu em 1947, dezessete anos depois. Na praça encontra-se também a Figueira, árvore plantada em 1903 pelo engenheiro Heinrich Kroehberger, considerada o palco da democracia, pois acolhe a população em suas manifestações.
 
Monumento 150 Anos de Blumenau
 
Obra do artista Evaldo Freygang inaugurada em 2000. Nelehá um mapa da cidade com duas pegadas humanas, simbolizando a chegada dos imigrantes. Composição de ferro e concreto do artista Evaldo Freygang.
 
Prefeitura Municipal de Blumenau
 
Prédio inaugurado em 1.982, no local onde funcionava a sede da antiga Estação Ferroviária.
A construção é uma imitação da técnica construtiva enxaimel, inspirada nas edificações do período colonial.
 
Macuca
 
Primeira locomotiva de Blumenau. Importada da Alemanha em 1908, chegou ao Brasil a bordo do Vapor Klobenz que também trazia oitocentas toneladas de material para a Estrada de Ferro Santa Catarina. 
 
Curiosidade: O apelido “Macuca” foi dado devido à semelhança com a ave macuco, pois o apito lembrava seu pio e o ruído da descarga de sua caldeira parecia com o som produzido pelas suas asas.
 
Relógio das Flores
 
Inaugurado em 2000, em comemoração aos 150 anos de Blumenau, o relógio funciona à energia elétrica. 
 
Curiosidade: Único no Estado. No Brasil existem apenas cinco relógios de flores: Poços de Caldas- MG, Petrópolis-RJ, Curitiba-PR, Garanhuns- PE e Blumenau.
 
Rua XV de Novembro
 
No início, era conhecida por “Wurstrasse” (Rua da Lingüiça), por ser estreita e cheia de curvas. Com a expansão da colônia, passou a denominar-se Rua do Comércio.
 
Curiosidade: Foi a primeira rua calçada em Santa Catarina, no ano de 1929. Hoje é palco dos desfiles da Oktoberfest, das comemorações do aniversário de Blumenau e do Stammtisch. Dos prédios, 10 têm as fachadas rebatidas (desenhadas) nas lajotas da via e contempladas no roteiro (nº 1526, 1404, 116/1122, 1050, 895, 801, 789, 667, 605 e 459). O curso de 1590 metros de extensão da Rua XV de Novembro é de uma beleza incontestável.
 
Teatro Carlos Gomes
 
Para acolher todos os grandes acontecimentos culturais da cidade, foi construído em 1939. Possui um dos quatro palcos giratórios do Brasil com platéia para 1.170 pessoas, ambiente climatizado e oferece também: escola de balé, teatro, dança, orquestra de câmara e Centro de Convenções. 
 
Curiosidade: Em 1948, foi realizado o 1º Baile de Debutantes do Estado. Local em que, mais tarde, também debutou a atriz blumenauense Vera Fischer.
 
Feira de Artesanato
 
À altura do nº 1091 está o prédio da Feira de Artesanato, construído na década de 40, em estilo art déco. Desde 1998 são comercializados os trabalhos de mais de 40 artesãos. As edificações mais altas e de arquitetura mais refinada refletem o sucesso da colônia e os anseios da época pelo progresso.
 
Castelinho da Havan
 
Construído em 1978, pelo empresário Udo Schadrack, de família tradicional blumenauense, é uma réplica da prefeitura de Michelstadt, cidade localizada ao sul da Alemanha.
 
Catedral São Paulo Apóstolo
 
Inaugurado em 1958, o moderno templo católico contém em seu interior vitrais com belos efeitos de luminosidade e coloração. Possui uma imponente torre com 45 metros de altura, com três sinos eletrônicos que representam Jesus, Maria e José. Imagens esculpidas em cedro incorporam a fachada da entrada principal. O relógio foi trazido da Alemanha em 1930 e pesa 484 quilos.
 
Curiosidade: No ano 2000, ganhou o status de Catedral.
 
Praça Dr. Blumenau
 
Inaugurada em agosto de 1949, em homenagem ao fundador da cidade. Palco de grandes eventos políticos e culturais, construída em terreno doado pela família Werner. A partir de 2001, um mosaico composto de cacos de piso e azulejos, de autoria do artista Antônio Rozicki, retrata o fundador da cidade. 
 
 
 
Mausoléu Dr. Blumenau
 
Inaugurado em setembro de 1974, ano do sesquicentenário da Imigração Alemã no Brasil, abriga os restos mortais do Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau, fundador da cidade, e seus familiares, além de um monumento em sua homenagem. A construção deste monumento surgiu da inspiração do professor e historiador José Ferreira da Silva. 
 
 
Fundação Cultural de Blumenau
 
Sede da Colônia de Blumenau (1875). A partir de 1939, com a remodelação e ampliação do prédio, passou a abrigar além da Prefeitura Municipal, o Fórum e as repartições Judiciais e Policiais. Foi parcialmente destruída pelo incêndio em 1958, junto com os arquivos históricos do município. O prédio foi reconstruído e inaugurado no ano de 2001. Hoje, nele também está o Museu de Arte de Blumenau, com acervo de mais de 400 obras e exposições o ano todo, e é sede da Fundação Cultural de Blumenau. 
 
Alameda Duque de Caxias (Rua das Palmeiras)
 
Foi a primeira rua planejada da colônia. Denominada pelo imigrantes “Boulevard Wendenburg”. As primeiras palmeiras imperiais da colônia foram plantadas em 1876, no centro da via.
 
Museu da Família Colonial
 
Complexo museológico aberto ao público em 1967. Formado por três casas-museu. No seu interior estão expostos móveis, utensílios domésticos , maquinário e peças do cotidiano dos imigrantes.
 
Parque Horto-Botânico Edith Gaertner
 
Área do complexo do Museu da Família Colonial. Neste espaço o visitante conhece o laboratório de experiências botânicas, com várias espécies plantadas pelo Dr. Blumenau.
 
Cemitério dos Gatos
 
Edith Gaertner, sobrinha-neta do Dr. Blumenau, tinha grande afeto pelos gatos. Ao morrerem, os felinos eram enterrados com direito a funeral e cortejo fúnebre.
 
Curiosidade: Em 2000, o Cemitério dos Gatos foi apresentado em rede nacional, no programa Fantástico da Rede Globo. 
 
 
Igreja Evangélica Luterana do Espírito Santo - (Rua Amazonas, 119)
 
Foi inaugurada em 1877, pertence à Comunidade Luterana de Blumenau. Anexo à Igreja está o cemitério, onde estão sepultados vários imigrantes colonizadores e seus descendentes de confissão Luterana.
 
Curiosidade: Os primeiros imigrantes da Colônia em Blumenau eram de Confissão Luterana. Somente após 25 anos é que vieram as grandes levas de Católicos de nacionalidade italiana. 
 
Praça Hercílio Luz
Nos tempos da colônia, o local era o principal ponto de reuniões da cidade que não parava de crescer. Compreende o Marco dos Primeiros Imigrantes, o Monumento Voluntários da Pátria, o Museu da Cerveja, o Biergarten (Jardim da Cerveja) e o Monumento com Poema de Lindolf Bell. Ao entardecer, enquanto degusta cerveja artesanal, o visitante pode contemplar o pôr-do-sol e as belezas do Rio Itajaí-Açu.