Florianópolis - Sc

 
 
Pontos Turísticos de Florianópolis
 
 
 
Ponte Hercílio Luz - Cartão postal indispensável de Florianópolis, foi construída entre 1922 e 1926 para melhorar o acesso à Ilha, que até então era feito por barco.
Está interditada desde 1991 e atualmente passa por uma restauração. 
Alameda Adolfo Konder
 
 
 
Mercado Público Municipal- Coração do centro histórico de Florianópolis, o Mercado é diversão garantida. Com seus estandes de venda de peixe fresco, lojas de roupas, bares e restaurantes típicos, atrai intelectuais, boêmios e artistas.Nos sábados à tarde vira ponto de encontro de pagodeiros.
Rua Jerônimo Coelho, 60
 
 
Alfândega - A primeira alfândega da cidade incendiou-se em 1866. Para substituí-la, foi construído este prédio de estilo neo-clássico em 1876. No piso térreo funcionam uma galeria de artes, uma feira de artesanato e um bar.
À sua frente fica o Largo da Alfândega, local de manifestações populares e shows. Ali funcionam bancas de louças de barro e um Posto de Informações Turísticas.
Rua Conselheiro Mafra, 141
 
 
Catedral - A Matriz de Florianópolis está construída no mesmo local onde Dias Velho, fundador da cidade, ergueu uma capelinha para Nossa Senhora do Desterro. A Igreja possui um grande acervo de arte sacra.
À sua frente fica o Largo da Catedral, onde funciona às sextas-feiras uma feira de artesanato. No Largo também funciona um Posto de Informações Turísticas.
Praça XV de Novembro
 
 
 
Morro da Cruz - No topo deste maciço está o principal mirante da cidade. A cruz que dá nome ao morro foi colocada ali em comemoração da virada do século XIX para o século XX.
Acesso pela rua Allan Kardec, em frente à Praça Celso Ramos
 
 
Figueira Centenária - Diz a história que esta árvore nasceu em 1871 no jardim da Igreja Matriz e que foi transplantada 20 anos depois para o local onde está. Segundo a superstição local, quem rodeá-la várias vezes atrairá para si riqueza, sorte e casamento.
Praça XV de Novembro
 
Praça XV de Novembro - Foi aqui que, em 1662, Dias Velho fundou a vila de Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis. A praça foi arborizada durante o século XIX e até hoje mantém seus espécimes de ficus indianos, palmeiras imperiais, cravos da Índia e a famosa Figueira Centenária. A pavimentação reproduz um desenho do artista Hassis.
 
Calçadão da Felipe Schmidt - Vendedores ambulantes e comércio desenvolvido fazem esta rua do Centro Histórico ferver com os passantes. Com prédios antigos e arquitetura preservada, o lugar mais interessante é o bar Ponto Chic, ou Senadinho, como é conhecido na cidade. Ali reúnem-se freqüentadores assíduos que conversam sobre política, economia, futebol e amenidades. O destaque fica para o desenho em petit pavê no chão, que representa um plenário com sete cadeiras, a mesa do presidente e a inscrição "SPQF - Senado Para Qualquer Fofoca".
 
 
 
 
 
Igrejas
 
 
 
Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito - Esta Igreja começou a ser erguida em 1787 e foi concluída somente em 1830. A demora se deve ao fato da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos ser uma confraria muito pobre, composta principalmente por escravos e ex-escravos. Apesar de singela, ela se destaca no Centro Histórico, sobretudo pela sua belíssima escadaria que desemboca na rua Trajano.
Rua Marechal Guilherme, 60
 
Igreja São Francisco - Com arquitetura mesclando os estilos barroco e neoclássico, a Igreja pertence à Ordem Terceira de São Francisco da Penitência foi inaugurada em 1815 e permanece como resquício do Período Colonial em Florianópolis. Como a Ordem sempre foi protetora dos menos afortunados, a entrada da Igreja abriga pedintes que contam com a caridade dos devotos.
Esquina da rua Deodoro com a rua Felipe Schmidt
 
Igreja São Sebastião - Esta Igreja foi construída em uma época que a cidade foi assolada por uma peste. Como São Sebastião é o santo protetor das epidemias, o povo passou a ter uma grande devoção a ele. Além disso, a Igreja marca o fim do trabalho escravo e início do trabalho imigrante, que deu à obra características neoromânicas e neogóticas. Na frente da Igreja está o Largo São Sebastião, onde aos sábados de manhã acontece uma feira onde os colonos vendem seus produtos.
Largo São Sebastião da Praia de Fora
 
Capela do Menino Deus e da Irmandade do Senhor Jesus dos Passos- Além de apresentar uma das mais belas vistas panorâmicas do centro da cidade, a capela possui o segundo maior acervo de arte sacra em Florianópolis. No mesmo terreno ficam o Hospital de Caridade, o Cemitéiro da Irmandade de Nosso Senhor Jesus dos Passos e, futuramente, o Parque Ecológico Menino Deus e o Museu Farmaco-Hospitalar de Santa Catarina.
Rua Menino Deus, 376
 
Igreja Nossa Senhora do Parto - A Igreja foi construída por alguns devotos da Santa que faziam parte da Contraria do Rosário e São Benedito. Como a Confraria era de pessoas humildes, a obra demorou vinte anos para ser concluída - de 1841 a 1861. Enquanto isso, a imagem da Santa ficou primeiramente na Igreja do Rosário e, depois, na Matriz.
Rua Conselheiro Mafra, 674
 
Igreja Santo Antônio - Em 1908 alguns freis da Ordem de São Francisco chegaram à Ilha e adquiriram uma chácara no topo de uma colina. Em 1921, com a ajuda de alguns moradores, os franciscanos construíram esta Igreja que, apesar de encontrar-se no centro da cidade, fica em um lugar calmo e acolhedor.
Rua Padre Schuller, 81
 
Capela Divino Espírito Santo - Construída pela Irmandade do Divino Espírito Santo, a obra tem sua história ligada à do Asilo de Órfãs. Isso porque o Asilo era um dos objetivos da Irmandade. Em 1900 a Paróquia de Nossa Senhora do Desterro se comprometeu a doar o terreno desde que a Irmandade construísse o prédio. Assim, em 1909 a Capela ficou pronta e, em 1910, o Asilo. No final do mês de maio acontece na Praça Getúlio Vargas, em frente à Igreja, a Festa do Divino Espírito Santo.
Praça Getúlio Vargas, 212
 
Igreja Evangélica de Confissão Luterana - Construída em 1913, a Igreja marca a presença da pequena colonização alemã na Ilha. Com as características neogóticas preservadas até hoje, a Igreja ocupou o mesmo terreno em que ficava a Escola Alemã. A área foi cortada em 1958 para dar espaço à rua Leoberto Leal. Em frente à Escola funcionou um pequeno hospital mantido pela colônia alemã, a qual passou por uma séria crise durante a Segunda Guerra Mundial. O Hospital e a Escola encerraram suas atividades, mas os cultos na Igreja permanecem.
Rua Nereu Ramos, 21
 
 
 
 
 
Museus
 
 
 
 
Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa - Este prédio que sediou o Governo do Estado até 1984 e virou museu em 1986 já recebeu a visita de Dom Pedro I e Dom Pedro II. Foi palco da Revolução Federalista em 1891, quando os revoltosos tomaram conta do local, e do início da Novembrada, quando o Presidente Figueiredo foi agredido. Com diversas reformas e restaurações, ganhou dez esculturas do artista italiano Gabriel Sielva. As estátuas ornamentam a fachada externa do prédio.
Praça XV de Novembro, 227
 
 
Museu Victor Meirelles- Sobrado tipicamente luso-brasileiro do final do século XVIII, foi o local de nascimento do pintor, desenhista e professor Victor Meirelles de Lima, uma das maiores expressões da arte brasileira.No andar superior, onde residia a família, ainda mantém-se as divisórias e há a exposição permante de obras do artista. No andar inferior, onde funcionava o mercado do pai de Victor Meirelles, há exposições periódicas de artistas catarinenses.
Rua Victor Meirelle, 59
 
Museu de Armas Major Antônio de Lara Ribas - O museu localiza-se no Forte Santana, a mais acessível das fortificações ilhoas. O acervo conta com armas e fardas de diversas épocas, bem como um antigo carro-pipa usado para combater incêndios.
Av. Beira Mar Norte, embaixo da Ponte Hercílio Luz, na Praia Arataca
 
 
Museu da Ponte - Situado na cabeceira insular da Ponte Hercílio Luz, o museu, sob a responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagem de Santa Catarina, mantém desde 1990 um acervo com fotografias e reportagens da época da construção da Ponte. Também estão expostas peças originais que necessitaram substituição.
Alameda Adolfo Konder
 
Casa de Artes e Exposição Metálica - Museu Bicaca - Este museu particular expõe maquetes e miniaturas de vários marcos da cidade, como o casario do entorno da Praça XV de Novembro e o bondinho puxado por burros. Localizaço na porção leste do Centro Histórico, tem como atração à parte a própria Travessa Ratclif e suas esquinas a 45 grau que desembocavam no cais da Baía Sul. No final da Travessa está o Forte Santa Bárbara, que ficou perdido no meio da cidade desde que o mar deu lugar ao aterro.
Rua João Pinto, esquina com a Travessa Ratclif
 
Museu do Homem do Sambaqui "Padre João Alfredo Rohr" - Museu de rara importância para o estudo da evolução dos costumes humanos e do próprio Homem. Ali estão quase 200 esqueletos, em surpreendente estado de conservação, com idade estimada entre 1.055 e 1.552 anos. 
O Museu conta com uma ala de zoologia na qual há animais de várias espécies conservados através da taxidermia. O acervo ainda apresenta arte sacra, numismática (moedas e cédulas), fósseis com até 225 milhões de anos, utensílios indígenas e outros materiais. O Museu do Homem de Sambaqui guarda, sem dúvida, um dos maiores acervos arqueológicos do Brasil.
Rua Esteves Júnior, 711, no Colégio Catarinense
 
Museu do Saneamento - Instalado em pequeno edifício construído no início do século XX em estilo eclético, o prédio abrigou a principal estação de elevação mecânica de esgoto, que funcionava em conjunto com outras três estações. Mais tarde, a construção deu lugar ao mictório público. Em frente estão preservada uma bica e parte da balaustrada que servia para limitar o cais e o mar. O acervo é composto de equipamentos, mapas, ferramentas, fotos e outros objetos ligados à histópria do saneamento na Capital e no Estado.
Rua Antônio Luz, próximo ao Terminal Cidade de Florianópolis
 
 
Teatros
 
 
 
 
 
Teatro Álvaro de Carvalho - Inaugurado em 7 de setembro de 1875, no dia em que o País comemorava 53 anos de Independência, tinha o nome de Teatro Santa Isabel em homenagem à princesa, já demonstrando o pendor dos habitantes pela monarquia. Em 1894 o lugar serviu de prisão aos simpatizantes do Rei em uma reação do Governo Federal à Revolução Federalista, que culminou no Massacre de Anhatomirim. Desde então o teatro ganhou o nome do primeiro dramaturgo do Estado.
Praça Pereira Oliveira, 26, junto à rua Marechal Guilherme
 
Teatro da Ubro - O teatro da União Beneficente da Recreativa Operária teve seu auge entre 1922 e 1950, quando diversos espetáculos inspirados no Modernismo divertiam a classe trabalhadora. Em 1951, com a morte de Deodósio Ortiga, o grupo teatral que mantinha a casa funcionando desmantelou-se. Abandonado desde então, o prédio ruiu em 1993, restando apenas sua fachada, que foi restaurada e incorporada em um novo edifício.
Escadaria da rua Pedro Soares, 15
 
 
 
 
Praças
 
 
 
Praça Getúlio Vargas - Circundada por edifícios históricos, a praça já foi conhecida como Largo Municipal. Atualmente conta com um chafariz e com um amplo parque infantil. A praça também abriga uma placa alusiva à comemoração de 25 anos de fundação da cidade, uma reprodução da carta-testamento do presidente Getúlio Vargas, o primeiro monumento feito no Estado em homenagem à heroína Anita Garibaldi, um estátua do ex-prefeito Bulcão Viana e um busto do empresário Carl Hoepck.
 
Praça Celso Ramos - Ambiente agradável, em frente à baia norte, conta com um parque infantil. Na praça estão a estátua do ex-governador Celso Ramos e uma das quatro Estações Elevatórias de Esgoto, construídas no início do século XX e que compunham a primeira rede de saneamento da Capital.
Av. Beira Mar Norte, esquina com a rua Allan Kardec
 
Praça Esteves Júnior - No local onde está esta praça, foi construído, entre 1761 e 1765, o Forte São Francisco Xavier, que se destinava a reforçar o sistema de defesa da Ilha. Estima-se que a construção ruiu por volta de 1840 e, em 1890, foi instalada a praça, que inicialmente chamava-se Lauro Müller. Em 1998 e 1999 foram feitas algumas obras na praça, e com elas foram desenterrados três canhões do antigo forte, os quais ornamentam o lugar. 
Encontro da rua Esteves Júnior com a Av. Beira Mar Norte
 
Praça dos Namorados - Com um pequeno parque infantil, perto do mar, esta praça sedia uma das quatro Estações Elevatórias de Saneamento, tombadas como Patrimônio Histórico Municipal.
Fronteira entre o Largo São Sebastião e Av. Beira Mar Norte
 
Praça Fernando Machado - Situada em frente à Praça XV de Novembro, foi lugar do primeiro Mercado Público Municipal e da maquete da ponte Hercílio Luz que serviu para a inauguração simbólica da obra. Era na praça Fernando Machado que ficava o Miramar, famoso trapiche municipal e ponto de encontro da elite intelectual da cidade, que desapareceu com o aterro da Baía Sul. Recentemente a praça passou por uma reforma que incorporou pilares que marcam o local onde ficava a marina. Além de painéis contando a história do Miramar, a praça guarda a estátua do Coronel Fernando Machado, herói morto em 1868 na Batalha do Itororó durante a Guerra do Paraguai.
Próximo ao Terminal Cidade de Florianópolis
 
Praça Lauro Müller - Pequena praça no final da Av. Mauro Ramos, conta com uma estátua do ex-governador Lauro Müller e com o obelisco à fundação da cidade pelo bandeirante Dias Velho.
Av. Beira Mar Norte, esquina com a Av. Mauro Ramos
 
Praça Hercílio Luz - Na cabeceira insular da ponte, essa praça conta com a estátua do ex-governador e de um mirante que oferece uma bela vista panorâmica das Baías Norte e Sul. Em frente à praça fica o Parque da Luz, área de lazer adotada pelos moradoresque conta com parque infantil, espaço para caminhadas e muito verde.
Alameda Adolfo Konder
 
Praça Etelvina Luz - Conhecida popularmente com Praça do Banco Redondo, esse minúsculo espaço perdido nas proximidades do Beiramar Shopping serve como ponto de referência amplamente divulgado pelos ilhéus.
Av. Mauro Ramos, esquina com rua Victor Konder