Praia do Forte - Ba

<iframe width="560" height="315" src="//www.youtube.com/embed/ln6ob2y94MI" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
 
Turismo - Polinésia Brasileira. É assim que carinhosamente é conhecida a Praia do Forte, localizada na Bahia, a 53 quilômetros do Aeroporto Internacional de Salvador Deputado Luís Eduardo Magalhães.
 
A Praia do Forte é o "point" do turista apaixonado pelo turismo ecológico e que adora admirar uma bela paisagem de praia e Mata Atlântica. São 12km de praias, delimitadas por dunas, coqueiral, piscinas naturais, um famosíssimo Sítio Histórico que abriga o Castelo Garcia D´Ávila, a Reserva de Sapiranga, as corredeiras do Rio Pojuca e uma aldeia de pescadores.
 
A paisagem é indescritível, difícil é saber por onde começar a explorar a Praia do Forte, tamanha é a oferta de lazer e entretenimento que ela oferece. Os passeios são muitos e variados, podendo ser feitos a pé, em cavalgadas ou de jipe. Apreciar as belezas naturais da Praia do Forte é um privilégio e muitos são os turistas que todos os anos procuram por ela.
 
Praias - Na grandiosa extensão de Praia do Forte, algumas praias se tornaram o ponto de encontro dos turistas, veranistas e de moradores da região.
 
A praia do Porto em Praia do Forte é a de mais fácil acesso e por isso de maior frequência, por estar próxima à Vila dos Pescadores e às barracas de praia, que servem comida e bebidas para os banhistas do lugar.
A praia do Lord, no sentido norte de Praia do Forte, oferece piscinas naturais e alguns vendedores de cerveja, coco e refrigerantes. É muito freqüentada pelos veranistas.
 
A do Papa-gente é, na maré baixa, uma imensa piscina natural, de águas completamente transparentes, onde se pode ver os peixes no fundo, mesmo a 3m de profundidade. É comum a prática do mergulho simples (apenas com respirador) podendo desfrutar com tranqüilidade toda a beleza da fauna marinha desta região de Praia do Forte.
 
A praia do Resort também em Praia do Forte, mais reservada, é uma enseada de águas transparentes, com pequenas ondas. Não tem barracas, nem nenhuma infra-estrutura para o público, sendo mais freqüentada pelos hóspedes do resort, que têm todo o apoio do bar de praia exclusivo.
 
Pesca na Praia do Forte - A Vila dos Pescadores é o coração da Praia do Forte, onde estão concentradas todas as atividades comerciais, culturais e de animação, incluindo pousadas, restaurantes, lojas de artesanato, boutiques, farmácias, supermercados, bancos (caixas eletrônicos), bares, boates, casas de show e lanchonetes. 
 
Mas nem só os pescadores da Praia do Forte usufruem a pesca, os turistas também podem praticar além da pesca oceânica, possibilitada pela grande biodiversidade marinha da Costa dos Coqueiros, a Praia do Forte oferece excelentes opções para pesca esportiva em água doce. As emoções ficam a cargo dos rios Timeantube e Pojuca, ambos situados bem próximo à praia.
 
No manguezal que margeia o Rio Timeantube em Praia do Forte, robalos, caranhas, filhotes de mero e carapebas são facilmente encontrados. Durante a maré baixa, nas pedras da barra deste rio, ainda aparecem, com freqüência, muitos bagres, xaréus e peixes-espada, todos oceânicos.
 
Como chegar à Praia do Forte - A Praia do Forte está localizada a 53km de Salvador. Saindo de Salvador, da Estação Rodoviária são 19km até o Aeroporto. Daí é só seguir pela Estrada do Coco, BA-099, por mais 34km até chegar a entrada de Praia do Forte. 
 
O acesso é feito pelo km 1 da Linha Verde, logo após o término da Estrada do Coco, em um entroncamento, com placa indicativa. Depois percorre-se 1,5km, através de rua pavimentada com paralelepípedos até chegar ao povoado. Existem linhas regulares de ônibus partindo de Salvador para a Praia do Forte.
 
Ecoturismo na Praia do Forte - Rodeado por reservas de manguezais, o Rio Pojuca é uma das divisórias naturais da Praia do Forte. Suas águas, ora calmas, ora de fortes corredeiras, são propícias para banhos e para a prática do rafting para os que curtem um pouco mais de adrenalina.
 
O Rio Pojuca é um reservatório natural de peixes em Praia do Forte. É indicado para a pesca de bagre, xaréu, peixe espada, robalo e caranha, além de camarões e pitus. Existem passeios de barco que partem da foz do Pojuca, e seguem rio acima até às famosas corredeiras. É imprescindível o uso de coletes salva-vidas, mas para quem preferir, pode-se seguir a pé por trilhas em meio à mata. 
 
Por entre a vegetação de Mata Atlântica na Praia do Forte, dentro da Reserva Florestal da Sapiranga, as corredeiras do Rio Pojuca garantem um banho inesquecível para o turista, em meio a um paraíso ecológico. O visitante pode optar por algo mais radical, como o "bóia-cross" nas corredeiras, ou simplesmente desfrutar de uma hidromassagem natural.
 
Os fãs do ecoturismo também não podem deixar de conhecer a Reserva particular de Mata Atlântica de Sapiranga, a cerca de 6 km de Praia do Forte, seguindo pela Linha Verde. São 600 hectares de mata secundária, totalmente preservada, com espécies raras de fauna e flora como o mico-estrela, o tamanduá, 40 espécies de pássaros, orquídeas e bromélias.
 
Conta com um Centro de Apoio ao Visitante, estacionamento, espaço para reabilitação de animais silvestres e guias para trilhas. São oito opções de trilhas, todas sinalizadas com placas verdes para quem faz o percurso a cavalo ou de bicicleta, e vermelha para quem vai a pé. 
 
A trilha da Gameleira, como sugere o nome, dá acesso a esta árvore sagrada do candomblé e que serve de habitat ao bicho-preguiça. A trilha da Espera era ponto favorito de caça, hoje proibida em nome da preservação das espécies. A trilha da Correderia ou Tapagem em Praia do Forte dá acesso às corredeiras do Rio Pojuca, com direito à travessia do rio rodeado de ilhas fluviais e árvores nativas. 
 
 
 
Projeto Tamar na Praia do Forte - O Projeto Tamar também está presente na Praia do Forte, ele visa a preservação das Tartarugas Marinhas e é ligado ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA) e apoiado por parcerias diversas com ONGs e instituições estaduais e municipais.
 
O projeto foi criado em 1980, e sua primeira sede fica localizada na Praia do Forte, mas o Projeto já é realidade também em outros estados da costa brasileira. 
 
Na sede em Praia do Forte, o visitante pode observar os diversos tanques que servem de abrigo e reprodução controlada da espécie, conhecer os ninhos de desova, além de aprender mais sobre as tartarugas marinhas com palestras e vídeos apresentados no anfiteatro. 
 
O local ainda conta com galerias de fotos, textos informativos e panfletos e um pequeno museu com acervos arqueológicos, incluindo o maior esqueleto da espécie já encontrado no litoral baiano. 
 
O melhor período para visitar o Projeto é entre os meses de setembro e março, quando as fêmeas procuram as praias para desova. A Sede é aberta ao público diariamente, das 9:00 às 17:30h na Praia do Forte. 
 
 
 
 
Praia do Forte e o Castelo Garcia D'Ávila -
Uma das belezas que podem ser contempladas na paisagem da Praia do Forte é o histórico Castelo Garcia D´Ávila, considerado a primeira edificação portuguesa de arquitetura residencial militar no Brasil. 
 
O Castelo Garcia D´Ávila em Praia do Forte é um dos mais significativos monumentos do Patrimônio Histórico Nacional, representado hoje por suas ruínas, apresenta características medievais, sendo a única construção do gênero em toda a América.
 
Em 1835, o castelo foi abandonado e, em meados do século XIX, já se apresentava em ruínas. Reconhecendo o valor histórico da construção, a Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), em 1938, tombou suas ruínas, que mais tarde viriam a ser um grande atrativo para quem se interessa pelo turismo histórico de Praia do Forte.
 
A capela de São Pedro dos Rates, é a parte mais antiga da edificação, datada do século XVI, o santo é adorado na cidade natal da família Ávila, mesmo berço de Tomé de Souza. Atualmente chamada de Capela de Todos os Santos, foi ela quem deu origem à sede, concluída somente em 1624 em Praia do Forte, com a terceira e mais poderosa geração da dinastia. 
 
O Morgado da Torre, como era chamado o império particular da família, foi considerado o maior latifúndio do mundo, com um total de 800 mil km², correspondendo a um décimo do território nacional. 
 
Recentemente criada, a Fundação Garcia D´Ávila, desde então, é a responsável pela preservação de todo o conjunto e também por algumas restaurações que já ocorreram, como a da capela. Uma área de aproximadamente 20 hectares em Praia do Forte, batizada de Parque Garcia D´Ávila, também foi criada com o intuito de revitalizar o espaço, dando ao visitante todos os aparatos para conhecer detalhadamente a saga desta impressionante família.
 
Como chegar no Castelo Garcia D'Ávila - Seguir pela linha verde e entrar à direita, 2 km após a entrada de Praia do Forte. Depois seguir por mais 4 km até o Parque. 
 
Praia do Forte e as baleiras Jubarte - Todos os anos, entre os meses de julho e novembro, o extremo sul da Bahia e principalmente a Praia do Forte recebe ilustres visitantes em seu litoral. As gigantes baleias Jubarte, que podem chegar até 16 metros de comprimento e 40 toneladas. 
 
Elas percorrem uma longa jornada de cerca de 5000 quilômetros, vindas das águas gélidas da Antártida para a Praia do Forte, em busca das águas quentes e cristalinas da região, ideais para a reprodução e para as primeiras aventuras de seus filhotes. 
 
O turista pode assistir a tudo de camarote também na Praia do Forte. Existem passeios em lanchas, escunas ou catamarãs, distantes de 6 a 10 milhas da costa. Antes de embarcar, há uma palestra sobre educação ambiental e normas de procedimento para observação. O passeio dura cerca de 6 a 8 horas.
 
As Jubarte, também chamadas de "baleias cantoras" ou "baleias acrobatas", encantam pela docilidade demonstrada ao se aproximarem das embarcações, fazendo belos movimentos e emitindo sons, que pressupõem o momento de seu acasalamento. 
 
O trecho de 60 km de litoral, entre Prado e Nova Viçosa, é o ponto onde as baleias aparecem com maior freqüência. A distância para Prado a partir de Salvador é de 812 km.
 
Onde ficar na Praia do Forte - O albergue Praia do Forte Hostel oferece quartos para casal/família e coletivo, 06 pessoas, com ventilador de teto, armários individuais, banheiro privativo em todos os quartos. Sala de TV, coletiva e Internet, lavanderia, cozinha, loja de conveniência 24 horas e guarda volume são serviços também oferecidos pelo albergue.