Curso de Agente de Viagens Online

Machu Picho

 cidadela de Machu Picchu é o atrativo turístico mais importante de Cusco. Descoberta em 1911 pelo explorador norte-americano Hiram Bingham, esta cidadela é considerada uma das mais extraordinárias amostras da arquitetura paisagística do mundo.

Machu Picchu está situada sobre uma montanha de estrutura de granito. Utilizando criativas técnicas, os Incas conseguiram transportar pesados blocos de pedra assim como esculpi-los e poli-los com uma pulcritude surpreendente.
 
 
Setor agrícola
Está rodeado por uma sucessão de andenes ( plataformas de cultivos)com diferente tipos e dimensões que possivelmente cumpriam duas funções principais: Cultivo e contenção das erosões produzidas pelas chuvas. No setor agrícola estão cinco habitações com características de depósitos chamadas collpas ou celeiros.
    
 
Posto de vigilância
Constituído por um edifício de três muros com várias janelas, situado antes da portada principal. Desde este edifício se observa panoramicamente os dois grandes setores Agrícola e Urbano e o ambiente paisagístico.
 
Cemitério superior e rocha ritual
Em Machu Picchu, como em todas as cidades Incas, os enterros foram feitos nas zonas periféricas. Nesta zona encontraram-se restos ósseos e na parte superior encontram-se cantos rodados (pedras), que pertencem ao lugar, o que indica que foram realizadas oferendas nestas mencionadas pedras.
    
 
Setor urbano
Delimitado pelo setor agrícola por uma escavação seca e paralelamente observa-se uma longa escalinata que conduz à porta principal. Este setor abriga os maiores elementos arquitetônicos de uma cidade (llaqta) inca. A cidade tem forma de U.Ao norte observa-se um grande sub-setor religioso dos templos, ao sul o conjunto de habitações e ateliês em andenes ( plataformas) que Hiram Bingham denominou grupo militar.
 
O Templo do Sol
É uma construção semicircular edificada sobre uma rocha maciça, bloco de granito existente adaptado à curvatura natural cujo perímetro é de 10.50 m. Neste edifício há duas janelas trapezoidais com protuberâncias em cada esquina e no lado norte há uma porta finamente lavrada com perfurações nas jambas, muito similares ao do Templo do Qoricancha em Cusco.
    
 
Rocha sagrada
Apresenta uma peça monolítica lavrada de 3 m de altura e 7 m de base que se assemelha a um felino. De outro ângulo observa-se como o perfil de uma montanha circundante a Machu Picchu. Pelas características que este grupo apresenta, e pelas duas “huayranas” habitações de três muros, é bem possível que tenham cumprido funções rituais.
 
Templo das três janelas
Situa-se ao oriente da praça principal, tem uma grande planta retangular e o nome deve-se a que na parte matriz existem três lindíssimas janelas e dois vãos cegos. O tipo arquitetônico desenvolvido neste recinto juntamente com o templo principal é o mais impressionante de todo Machu Picchu: são enormes poliedros finamente esculpidos e unidos com milimétrica precisão.
    
 
Templo principal
Está ao norte da praça sagrada, bem perto das Três janelas, construído em forma de wayrana, isto é, retangular, mas só com três paredes; tem 11 m. comprimento por 8 m de largura e suas muralhas têm uma espessura de 0.90 m. Há uma pedra esculpida que servia de altar ao pé do muro principal.
 
Intiwatana
Rocha mãe intrusiva, ponto cerimonial que pode ser traduzido como Inti = sol e wata = ano, que foi um lugar de estudo do ano solar onde puderam determinar os solstícios e equinócios. Muitos estudiosos afirmam que os Intiwatanas servia como pontos direcionais e nos ângulos encontra-se o norte magnético. Em todo caso, tratava-se de um eixo ritual de grande significado religioso.
    
 
As praças
São quatro praças dispostas em diferentes níveis que se caracterizam por apresentar formas retangulares de estilo clássicoinca, intercomunicadas por escalões encravados nos parâmetros dos andenes. A maior praça é a praça central, e cumpria com funções religiosas e sociais.
 
Mausoléu ou tumba
O enorme bloco de pedra inclinado que suporta o templo do sol na parte inferior, apresenta uma gruta que está decorada e acondicionada com uma excepcional maestria, que depois seria utilizada como mausoléu. Também foi lugar de adoração e oferenda às múmias das principais autoridades; na entrada apresenta representação do signo escalonado da deusa terra.
    
 
As portas
Apresentam variadas características de textura, tamanho e estilo arquitetônico que as diferenciam umas das outras, apesar de que todas coincidem com a tradicional forma trapezoidal.

WAYNA PICCHU
    
 
    
 

O guardião eterno do Santuário, o Wayna Picchu (“Montanha Jovem” em Quechua) levanta-se imponente dominando a cidadela Inca. Subir até o topo é outra experiência inesquecível. No trajeto ena cima apreciam-se recintos sagrados e admiráveis terraços construídos sobre o precipício.A subida é realizadapartindo da praça principal de Machu Picchu através de um caminho, construído pelos próprios Incas, que está sinalizado e em bom estado. A vista panorâmica é impressionante: Machu Picchu em todo seu esplendor, o cânion de Vilcanota e as montanhas circundantes. A caminhada dura entre duas a três horas.

    
 

Wiñaywayna (“Por sempre jovem” em Quechua), talvez seja a construção mais linda da Trilha Inca – Para chegar é necessário três dias de caminhada. Situada a 2700 m de altitude, possui um pequeno setor urbano com o destaque de dez fontes rituais e uma torre construída com pedras lavradas. Outra atração é a escalinata que conecta os diversos níveis do complexo e o setor agrícola, com terraços pendentes que desafiam o precipício que vai dar ao cânion de Vilcanota.Não é necessário realizar os quatro ou oito dias da Trilha Inca para conhecer Wiñaywayna. Você pode ir partindo de Machu Picchu Pueblo e seguindo o tramo da via férrea e depois iniciar a subida no km. 104. A caminhada dura 3 horas e meia.

 
CAMINO INCA


Faz parte da rede de caminhos que os Incas desenvolveram para unir os principais centros administrativos e religiosos em todo o Tahuantinsuyo. Uma dessas vias comunicava Cusco com Machu Picchu.Para realizar todo o percorrido são oito dias e é recomendável estar com uma excelente preparação física pois passa pelas ladeiras do nevado Salkantay, enquanto que para o percorrido de um dia, que também permite viver uma linda experiência não necessita o rigor de um trekking exigente, e a parada principal é o sítio arqueológico de Wiñaywayna.
    
 

O tramo mais popular é o de quatro dias, um percorrido que pela beleza da paisagem – pois percorrem vários diferentes pisos ecológicos - e pelos sítios arqueológicos construídos pelo caminho, ganhou a reputação de ser um dos melhores destinos para realizar trekking do mundo. No trajeto encontrará fendas que bordeiam os 4000 m de altitude como Warmiwañusqa (4200) e Runkuraqay (3860) para depois descender a 2000 m de altitude (selva alta), que são percorridas através de extensas escadarias lavradas nas rochas e passa-se por túneis de até 20 m de comprimento. O tramo parte de Piskacucho, no km 82 da ferrovia Cusco – Machu Picchu Pueblo.
 
 
 
RECORRIDO
Día 1:
    
Piskacucho – Llulluchapampa, 7 horas.
Día 2:
    
Llulluchapampa – Runkurakay, 7 horas.
Día 3:
    
Runkurakay – Phuyupatamarca, 7 horas.
 

    
INTIPUNKU
 
  
“Porta do Sol” em Quechua, é a entrada a Machu Picchu através da Trilha Inca. O ideal é chegar aí antes do amanhecer para contemplar como a cidadela Inca vai aparecendo enquanto a neblina vai desaparecendo é um espetáculo comovente, emocionante e inesquecível.O Intipunku oferece uma vista majestosa e total de Machu Picchu e da montanha sagrada de Wayna Picchu. Está formado por escalinatas empinadas esculpidas em pedra e por construções que se supõe que foram uma espécie de aduana para o controle das pessoas que ingressavam e saíam da cidadela.

 
TEMPLO DA LUA

Partindo da praça principal de Machu Picchu, realiza-se uma caminhada de três horas para chegar a este templo, onde está presente a conceitualização religiosa dos três níveis do mundo andino: o Hanan Pacha (o mundo encima da terra), o Kay Pacha (o mundo da terra) e o Ukju Pacha (o mundo interior da terra), representados pelo Condor, pelo Puma e pela Serpente.

REGULAMENTAÇÃO DE VISITAS

Para colaborar com a conservação deste valioso Monumento Arqueológico, Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade devem seguir as seguintes recomendações:
- Levar bebidas só em cantil
- Não levar nem consumir alimentos dentro do monumento
- Ingressar num grupo com um máximo de 20 pessoas
- Não subir nos muros da cidadela
- Está proibido iniciar fogo aberto
- Utilizar os lixeiros indicados
- Não perturbar as espécies de flora e/ou fauna do lugar
- Não contaminar as fontes de água
- Caminhar pelos circuitos sinalizados
 
Durante o percorrido pela Trilha Inca, está absolutamente proibido:
- Atirar lixo
- Acender fogueira e cozinhar com lenha
- Pernoitar nos sítios arqueológicos
- Recoletar plantas, flores, insetos e animais na rota.

 

Trilha Inca
    
 

Trilha Inca
Mylene d'Auriol / PromPerú

Localização :
Região Cusco. província de Urubamba (2650 a 4200 m de altitude).
 

Clima:
frio e semi-seco. Temperatura Média: 10°C (50°F).
Temporada: De abril a octubre.
 
Temporada:
de abril a outubro.

    
Acesso:
Via terrestre: Lima - Huaraz (400 km), em 8 h.
Há transporte público de Huaraz a Caraz
(67 km ao norte de Huaraz).
 
  Descrição

O circuito de 62 km tem início em Cashapampa (35 km ao norte de Caraz), segue pela quebrada Santa Cruz, sobe ao acampamento base del Alpamayo, atravessa Punta Unión (4750 m), passa pela quebrada Huaripampa e finaliza na lagoa Llanganuco. Belas paisagens de lagoas, montanhas nevadas e paragens andinos.
Graus de dificuldade: médio e alto. Tempo mínimo: 4 dias.

 

Santuário Histórico de Machu Picchu     
 

Oso de Anteojos, Santuario Histórico de Machu Picchu, Cusco
Heinz Plenge / PromPerú

 

Localizado no departamento de Cusco, sobre uma superfície de 32.592 hectares, o Santuário Histórico de Machu Picchu cumpre a função de preservar uma peculiar flora e fauna, e as belezas da paisagem dos bosques circundantes, assim como contribuir à proteção dos restos arqueológicos localizados nele. Muita da beleza e o encanto que rodeia Machu Picchu, o maior atrativo turístico de Perú, se deve a seu espectacular ambiente natural: os bosques de montanha deste santuário histórico.

Machu Picchu é lar de algumas espectaculares criaturas, como o “galinho das rochas” -ave nacional de Perú- e o urso andino ou “ucumari”, o único úrsido de Sudamérica. Também encontram refúgio na zona o raro veado anão ou “sachacabra”, a “tanka taruca” e mais de 300 espécies de aves. Sua flora é particularmente diversa e interessante: ao redor de 200 espécies de orquídeas têm sido registradas no santuário. Domina a paisagem do santuário o majestoso Salkantay (6.271 msnm), a maior montanha nevada da Cordilheira de Vilcanota, venerada pelos povoadores locais como Apu ou divinidade tutelar. Machu Picchu combina a majestosidade de um cenário natural de muita beleza com o atractivo dos restos prehispánicos mais famosos do mundo.