Lisboa

Pontos turísticos, clima, temperatura, cultura de Lisboa passeios em Lisboa dicas de viagem a Lisboa pontos turísticos como  Lisboa

Parque das Nações Na era pós-Expo
     A imensa área onde se realizou a Exposição Mundial de 1998 foi concebida como um espaço de fruição pública. O conceito subjacente ao projecto da zona oriental de Lisboa incluiu um amplo e diversificado conjunto de equipamentos urbanos que permanecem à disposição da cidade na era pós-Expo.

     
Avenida da Liberdade
Do Marquês ao Rossio
     Do alto do Parque Eduardo VII vislumbra-se um dos cenários mais bonitos de Lisboa, com um Tejo azul de perder de vista. Em perspectiva, os olhos mostram-nos a longa avenida que se estende do Marquês de Pombal até ao Rossio.

     
Terreiro do Paço
A porta marítima da cidade
     É a sala de visitas de Lisboa. Por ali partiram as naus da esperança lusitana; ali chegaram os carregamentos de especiarias nas rotas da epopeia marítima; ali viveram reis e rainhas; por ali passearam cidadãos do Mundo; por ali andaram automóveis; e é por ali que a cidade respira todos os dias - pelo Terreiro do Paço.

     
Jardim Zoológico
Um dos maiores do mundo
     No centro da cidade de Lisboa há 120 anos, o Jardim Zoológico é um importante espaço onde aliada à educação está uma forte componente de entretenimento e diversão.

 

Percursos a Pé
 
Baixa Chiado
Charme na Lisboa antiga
     Comece por subir no elevador de Santa Justa (1), alcançando as ruínas do Convento do Carmo (2), destruído pelo sismo de 1755 e único exemplar da arquitectura gótica que remanesce em Lisboa.

 
     
Bairro Alto Cais do Sodré
     Ao cimo do Elevador da Glória (1) está o jardim e miradouro de S. Pedro de Alcântara (2) e, subindo pela Rua D. Pedro V, com inúmeros antiquários, atinge o Jardim do Príncipe Real (3), sob o qual se encontra o reservatório de água da Patriarcal, de 1864, visitável de 2ª a Sábado.

 
     
Estrela Prazeres Alcântara Docas
     Comece o passeio pelo Jardim da Estrela (1) e o seu coreto de ferro: Autocarros: 9, 27 e Eléctricos 25, 28. Em frente ao jardim fica a Basílica da Estrela (2), em estilo barroco tardio e neoclássico e com 4 colunas e respectivas estátuas que representam a Fé, a Liberalidade, a Adoração e a Gratidão

 
     
Mouraria Castelo Alfama
     O passeio começa junto à estação de Metro do Martim Moniz, na Rua do Capelão (1). Siga pela Rua da Mouraria até à Igreja da Senhora da Saúde (2), com belos azulejos e altar em talha, visitável de tarde e quando há missa.

 
     
Belém
     Esta é a zona ocidental da cidade, que reúne um conjunto de monumentos e equipamentos culturais de grande qualidade. Aqui vc come o tradicional PASTEL DE BELÉM
 
    

Alfama Castelo Mouraria
     Nos bairros de Alfama, Castelo e Mouraria, que ficam na colina coroada pelo Castelo de São Jorge, poderá encontrar inúmeros pontos de interesse.

 
     
Bairro Alto e Bica
     O Bairro Alto e Bica são das zonas mais pitorescas da capital, palco de uma singular coexistência das lojas mais tradicionais com as mais vanguardistas.

 
     
Baixa
     A Baixa Pombalina foi traçada no fim do século XVIII para reconstruir a zona do centro da cidade depois do devastador terramoto de 1755.

 
     
Chiado
     O Chiado é um elegante bairro comercial e residencial, que atingiu o seu auge no século XIX, quando era ponto de encontro de intelectuais e artistas.

 
     
Belém
     Belém, na zona ribeirinha, está muito ligado à época dos Descobrimentos, pois era dali que as naus partiam à aventura.


     Bares & Discos
Chiado
Bairro Alto
     É por aqui que começamos a noite de todas as folias, pelo Bairro Alto. Durante o dia, o Bairro Alto é um bairro popular, que agora ganhou animação por causa do novo vizinho, o moderno Chiado. À noite, o Bairro Alto transforma-se num mar de gente e de automóveis estacionados nas ruas estreitas, autênticos becos.

 
     
Belém e Docas
     Junto ao Tejo há muito por onde escolher, tal a variedade e qualidade dos estabelecimentos abertos. Antiga zona portuária de Lisboa, foi cedida a empresários pela Administração do Porto de Lisboa. Onde antes havia armazéns antigos e fechados, hoje estão alguns dos melhores bares e restaurantes de Lisboa.

 
     
Santos e 24 de Julho
     Ao Bairro Alto do final dos anos 70 e 80, sucedeu a 24 de Julho no final dos anos 80 e 90. Era naquela avenida que se concentrava a maior parte dos armazéns da actividade piscatória e escritórios. Hoje, são bares e discotecas porta sim, porta não, e grandes aglomerados de gente nova.

 
     
Parque das Nações
     A nova Lisboa que nasceu no Oriente também tem uma noite louca para oferecer. Onde hoje é o Parque das Nações, que serviu de palco à Expo’98, era dantes um aterro de lixo e contentores, uma zona recuperada e reconquistada à cidade. No Parque das Nações, mesmo junto ao Tejo, há alguns bares e discotecas que merecem visita assídua.
 
 
     Museus
Lisboa Cidade
     Visite os museus de Lisboa e fique a conhecer áreas fundamentais do património cultural português.

 
     
Oeste Ribatejo Templários
     Os museus da Região de Lisboa são lugares de cruzamento, de saberes, emoções e projectos. Visite os museus e conheça melhor a Região de Lisboa.

 
     
Mafra Oeiras Vila Franca de Xira
     Encontrará, nestas regiões, museus que reflectem a história e tradições de cada uma delas. Não deixe de os visitar!

 
     
Estoril
     A região do Estoril convida ao prazer de dias ensolarados e à visita surpreendentemente agradável aos museus desta zona de Lisboa.

 
     
Sintra
     Em Sintra, poderá encontrar vários museus com adequadas condições de conservação e concebidos segundo critérios de qualidade atrativos ao visitante.

 
     
Amadora Loures Odivelas
     Amadora, Loures e Odivelas apresental alguns dos pontos culturais de inegável interesse para quem pretende obter referências sobre algumas das teméticas culturais destas zonas.


Não deixar de comer:
 
Pastel de Belém
Bacalhau na nata
Caldo verde
Tomar Vinho do Porto
 
Atrações / Pontos turísticos de Lisboa:
Gulbenkian Museum (Museu Calouste Gulbenkian)
Oceanario de Lisboa
Fundação Amalia Rodrigues Casa Museu
Bairro Alto
Alfama
Museu de Arte Moderna e Contemporânea
Elevador da Gloria
Trem Elétrico 28
Centro Cultura de Belem
Museu Nacional do Azulejo
Feira da Ladra
Ponte 25 de abril
Expo 98 e Parque das Nações
Castelo de São Jorge
Mosteiro dos Jerónimos
Torre de Belém
Shopping Center Colombo
Museu Nacional de Arte Antiga
Casino Lisboa
Catedral da Sé
Igreja de Santa Engracia e elevador
Museu do Chiado
Praça do Comércio
Terreiro do Paço
Torre Vasco da Gama no Parque das Nações.

 

QUANDO IR: A melhor época para conhecer Portugal é de maio a setembro. Os meses de julho e agosto são os mais quentes e os mais caros. Em abril e outubro, com as condições meteorológicas mais instáveis, pelo menos metade da sua viagem pode ser comprometida pelo mau tempo. De novembro a março os preços despencam, mas as chuvas são constantes e sempre acompanhadas por muito vento.
TRANSPORTE em Lisboa:
Ônibus Nas principais cidades os ônibus partem das rodoviárias, que se localizam quase sempre no centro. Mas em alguns lugares só existem paragens – e as passagens são compradas em bancas de jornais ou em pequenas lojas. Informe-se com a população. Rede de Expressos. Tarifa Lisboa a Porto (jan/2008):— em 3:30 horas. Pode-se comprar online no site, porém é lento e não tem datas futuras muito longe.
Trens extensa rede ferroviária distribuída por quase todo o país. Os horários são fixos e estão expostos nos painéis de todas as estações, ou em pequenos folhetos que são fornecidos gratuitamente nos balcões de informação. São três categorias de trens: o Intercidades, o Interregional e o Regional. O Intercidades é o mais rápido, parando em poucas cidades, enquanto o Regional faz uma verdadeira maratona, parando em todas as estações pelo caminho. Tel. 808 208 208. Tarifa Lisboa a Porto (jan/2008): € 19,50 em 3horas ou 27 euros em 2:30.
Lisboa: O transporte público na capital do país é relativamente barato, eficiente e cobre todas as áreas de interesse turístico. Alugar um carro para se deslocar apenas na cidade não é uma boa idéia. Faltam vagas e as ruas estreitas tornam o trânsito complicado.Uma corrida de táxi na região central fica entre € 3 e € 5. Nos ônibus e nos elétricos, as passagens custam € 1 e o pagamento é feito diretamente ao motorista. O bilhete do metrô custa € 0, 75 ou 10 bilhetes por 6,90. Passe por 30 dias: 18,50Metropolitano de Lisboa. Passe de 5 dias: 13,50 válido para metrô e ônibus de forma ilimitada. Veja todo o Tarifário
ONDE FICAR:. Há hoteis bons e baratos em Lisboa comparados com o resto da Europa, com tarifas de quarto duplos a partir de 50 ou 60 euros nos hotei econômicos (até 3 estrelas). Albergues por 13 euros, uma barbada, como o Lisbon Private Room (tarifa para fevereiro/2008), um excelente albergue que pode ter preços ainda menores se dividir com outra pessoa e o Black & White Lisbon Hostel. Até de 4 ou 5 estrelas pelo preço de um econômico. O jeito é visitar os sites de hoteis e verificar as promoções.
Tarifas de janeiro/2008 para a Rede Accor em baixa temporada (maio 2008): Ibis Saldanha (€69) | Ibis Liberdade €75 | Ibis Lisboa José Malhoa: €50 a €61 | Sofitel (um dos melhores da cidade): €144 | Mercure: €60 a €70 | Novotel Setubal: €53 ou €70. As tarifas promocionais estão sujeitas a não-cancelamento e pagamento antecipado. Tarifas não incluem café-da-manhã
Hotel Principe Lisboa: €75 mas pode ter promoções na véspera por até 55 com café.
Pestana Palace (hotel de luxo): €190 mas a tarifa regular costuma ser de €300
Dom Pedro Palace (hotel de luxo): diárias a partir de 120.
Links de outros hoteis. | Pesquisa de albergues
 
——————————————————–
Mapas no Frommer’s:

http://www.frommers.com/destinations/lisbon/54_maps.html
——————————————————–
Links::::
UOL Viagens: http://viagem.uol.com.br/g…
Visite Lisboa: www.visitlisboa.co
CP Lisboa: http://www.cp.pt/cp/detailCulture.do?itemId=393457
________________________________________
Fonte: Revista Viagem e Turismo set/2007
Reportagem de Rachel Verano: A capital do upgrade
Lisboa mudou e se encheu de novidades, mas continua a ser uma das cidades mais baratas da Europa. Aqui, pratique a política do “eu mereço” sem culpa! A capital da “terrinha” é uma das cidades mais baratas do continente e, embora tenha se modernizado e se tornado um dos destinos mais cool do Velho Mundo nos últimos anos, ainda não subiu no salto. Aqui, ainda dá para se permitir uma série de pequenos luxos – sem ter que bajular o gerente do banco na volta. Por exemplo……SE HOSPEDAR NUM PALACETE CINCO ESTRELAS POR € 85 POR PESSOA

Casarão amarelo de número 54 da Rua Jaú. Erguida no final do século 18, início do 19, a antiga casa do marquês de Valle Flôr, amigo pessoal do rei D. Carlos e da rainha D. Amélia, já foi palco de animadas festas e reuniões da nobreza. O processo de restauração que a transformou no Pestana Palace (Rua Jaú, 54, 351-21/361-5697, pestana.com; diárias last minute a € 85 por pessoa, com direito a upgrade de quarto, ou pacote de € 325 por três noites com o Lisboa Card, que dá acesso gratuito às principais atrações da cidade; Cc: todos) foi minucioso e contou com uma equipe de especialistas vinda diretamente do Vaticano.…
IR A UM RESTAURANTE COM ESTRELA MICHELIN E GASTAR MENOS DE € 40 (COM VINHOS!)Para começar, amuse buche à escolha do chef, seguido de alho francês tépido com escabeche de galinha. Na seqüência, peixe com caponata de legumes ou porco preto grelhado com molho rústico alentejano e fondant de batatas. Cada prato com o acompanhamento de um vinho adequado, claro. No final, gaspacho de kiwi com sorvete de morangos. Esse é um dos menus criados pelo chef alemão Joaquin Koerper, dono da proeza de levar a primeira – e até agora a única – estrela Michelin para Lisboa no Eleven (Rua Marquês da Fronteira, Jardim Amália Rodrigues, 1070, 351-21/386-2211, restauranteleven.com; Cc: todos). 39 euros na hora do almoço, com os vinhos e a bela vista da Baixa com o Tejo . Jantar com sete pratos, sai por 69 euros sem bebidas, e o Degustação, com nove, custa 85 euros.…

SE ESBALDAR NA MELHOR BALADA HI-TECH POR € 12 DE CONSUMAÇÃO Lux (Avenida Infante Dom Henrique, Armazém A, Cais da Pedra a Santa Apolônia, 351-21/8820-890, luxfragil.com; € 12; Cc: todos), certo? A casa, um enorme caixote de concreto e vidro debruçado sobre o Tejo, é seguramente uma das melhores baladas da Europa (e uma verdadeira barganha se comparada aos pelo menos 50 euros cobrados de entrada em boates do mesmo naipe em Ibiza, por exemplo). Na lista de quem costuma comandar as pick-ups, nomes como 2Manydjs, LCD Soundsystem, Tiga ou Ricardo Villalobos, o chileno fera no minimal techno. Geralmente a entrada ainda é convertida em consumação – uma festa, quando a cerveja custa 3 euros e a dose de vodca, 6 euros. Se você ouvir do porteiro que a entrada é 180 euros, não duvide da acuidade desta repórter. Isso significa que você foi sutilmente barrado. …
RODAR PRA LÁ E PRA CÁ DE TÁXI POR MENOS DE € 10
Um táxi em Lisboa cobra 8 ou 9 euros para deixá-lo [do aeroporto] na porta do hotel no centro, ou um pouquinho mais (€ 1,60) se você tiver bagagem. Um luxo em cidades como Paris ou Milão, os táxis em Lisboa são a melhor alternativa de transporte – e muitas vezes a mais barata (se vocês forem em três ou quatro, então, é matemático – pode fazer as contas). A bandeirada inicial, de 2 euros das 6h às 21h, e de 2,50 euros das 21h às 6h e nos finais de semana e feriados. Cada quilômetro custa apenas 0,40 (€ 0,48 na bandeira 2). Como a maioria das atrações fica no centro, dificilmente a corrida vai ultrapassar os 5 euros. Se o destino for um pouquinho mais longe, como a Expo, na extremidade da cidade, espere gastar não mais do que 10 euros. Será por isso que os taxistas da cidade são tão mal-humorados?
Prazeres que uma moeda paga
Passeio no eléctrico 28: € 1,30

O bondinho, com ares de início do século 20, sobe e desce as ladeiras mais emblemáticas da capital, passando pelos principais pontos turísticos. O percurso ideal parte da Basílica da Estrela e segue até o Miradouro de Santa Luzia.
Pastel de Belém: € 0,85

O doce mais famoso do país tem um recheio cremoso à base de ovos, envolto por uma crocante massa folhada. A fábrica dos pastéis de Belém (Rua de Belém, 84 a 92, 351-21/363-7423, pasteisdebelem.pt; Cc: V) não tem rivais à altura.
Ida para a praia em Cascais: € 1,60

O trem (horários em cp.pt) parte do Cais do Sodré e o percurso, de cerca de meia hora, segue à beira-mar. Há praias no centro, mas se quiser ir direto para o Guincho, a mais bonita, é só pegar uma bicicleta (de graça!) da prefeitura.
Passeio em Sintra: € 1,60

A antiga estância de veraneio da família real fica no alto da serra, onde estão alguns dos mais famosos palácios portugueses (o Nacional, o da Pena, o dos Mouros). O trem parte da estação Entrecampos (horários em cp.pt).
Pão com chouriço depois da balada: € 1

Depois de tomar imperiais (como são chamados os famosos chopes) no Bairro Alto, é só seguir a multidão que ruma para a Rua da Rosa, entre a Travessa de São Pedro e a Rua Luisa Todi. Uma padaria, a pleno vapor de madrugada, serve o pão com lingüicinha recém-saído do forno.
Escapada: porto
A cerca de três horas de Lisboa (e a partir de 15,60 euros de trem, cp.pt), 10 programaços na Invicta que não doem no bolso
Fazer um city tour – a pé e de graça – pelo centro histórico
Comece pelos Aliados e desça até a Estação de São Bento (Praça Almeida Garrett, 351-22/200-2722), onde estão belos painéis de azulejos. De lá, suba até a Sé (Terreiro da Sé, 351/222-059-028), a imponente catedral do século 12, e depois se perca pelo labirinto da Ribeira, com suas fachadas soturnas e roupas nas janelas.
Subir no topo da Torre dos Clérigos
Encare os 225 degraus da torre barroca de quase 80 metros de altura para ter uma das melhores vistas do centro (Rua dos Clérigos, 351-22/200-1729; € 2).


Provar uma francesinha
A especialidade local é um sanduíche com uma mistureba de embutidos. A famosa é do Capa Negra (Rua do Campo Alegre, 191, 351-22/607-8380; € 7,95; Cc: todos).


Conhecer todos os detalhes da Casa da Música
O projeto ousado do arquiteto holandês Rem Koolhaas tem a forma de um diamante e paredes laminadas de ouro (Avenida da Boa Vista, 604-610, 351-22/012-0220, casadamusica.com; visita guiada a € 2).
Ir à Fundação de Serralves
O maior acervo de arte contemporânea do país fica numa casa projetada pelo arquiteto Siza Vieira, cercada por um jardim espetacular (Rua de Serralves, 977, 351/808-200-543, serralves.pt; €5).
Visitar o Salão Árabe no Palácio da Bolsa
Quase 20 quilos de ouro foram utilizados em sua decoração (Rua Ferreira Borges, s/n, 351-22/339-9000, palaciodabolsa.pt; € 5).
Fazer um passeio de barco pelo Douro
O tour começa na Ribeira e termina na foz (351-22/372-2415, barcadouro.pt; € 8).
Atravessar o rio para ter a melhor vista da cidade

Visitar as caves de vinho do Porto em Gaia
Na vinícola Ramos Pinto (Avenida Ramos Pinto, 400, 351-22/370-7000) a visita inclui degustação e custa 2 euros.
Jantar numa autêntica tasca
Para experimentar as famosas tripas à moda do Porto (€ 14,50 para duas pessoas), vá ao Ribeiro (Praça dos Poveiros, 2, 351-22/200-8637; Cc: M, V).
________________________________________
Site da Associação de Turismo de Lisboa:
http://www.atl-turismolisboa.pt/
________________________________________
Melhores Restaurantes de Lisboa, escolhidos pela Revista Veja
http://veja.abril.com.br/melhor_da_cidade/lisboa/votacao_restaurantes.html
________________________________________
Fonte: Revista Proxima Viagem (Out/2007):Para ligar do Brasil, disque antes 0035121Oceanário de Lisboa:
Doca dos Olivais, Parque das Nações, 891-7002, www.oceanario.pt. Grátis até os 3 anos de idade. Ingressos a 5,25 euros (dos 4 aos 12 anos); 10,50 euros (dos 13 aos 65), 5,75 euros (a partir dos 66), 25 euros (família - pais e crianças até 12 anos).
Windsurf Café:
Avenida Marginal, Praia de Carcavelos, 457-8956; www.windsurfcafe.pt
Biclicletas em Cascais:
Em Lisboa, na Estação Cais do Sodré, há trens para Cascais. A viagem de 30 minutos é um passeio pela costa lisboeta. Se preferir ir de carro, há dois trajetos: pela Marginal ou pela auto-estrada A-5. O programa de empréstimo de bicicletas funciona das 9 às 17 h, no inverno; e das 8 às 19 h, no verão.
Pavilhão Chinês:
Rua D. Pedro V, 89, Príncipe Real, 342-4729
Aqueduto das Águas Livres:
Rua do Alviela, 12, à Sta. Apolónia, 810-0215 e 810-0217. Preço do passeio: 20 euros. Chafariz do Vinho: Rua da Mãe d’Água, à Praça da Alegria, 342-2079; www.chafarizdovinho.com
Bairro Alto Hotel:
Praça Luís de Camões, 2, Bairro Alto, 3408288; www.bairroaltohotel.com
Casino de Lisboa:
Alameda dos Oceanos, lote 1.03.01, Parque das Nações, 892-9000; www.casinolisboa.pt
Solar do Vinho do Porto:
Rua de São Pedro de Alcântara, 45, Príncipe Real, 347-5707
Pastelaria Versailles:
Avenida da República, 15-A, Avenidas Novas, 354-6340; www.pastelariaversailles.com
Casa da Guia:
Avenida Nossa Senhora do Cabo, 101, Cascais, 482-3215; www.casadaguia.com
________________________________________
Trajeto de carro por Lisboa e Redondezas. Fonte: Revista Viagem e Turismo, julho/20073. Tesouros históricos - Da ginjinha ao leitão Quem está em Lisboa não pode perder a chance de percorrer as cidades em volta, nem que seja por apenas um dia. O ponto de partida é Óbidos, a 100 quilômetros – o trecho mais comprido do trajeto –, uma vila medieval encantadora onde uma bem preservada muralha de pedra do século 14 abraça todo o centrinho histórico de casas caiadas e janelas e portas quase sempre azuis, com floreiras coloridas. Ali há praticamente duas ruas principais – uma para ir e outra para voltar, sempre a pé. Numa das pontas fica o castelo, presente de casamento do rei dom Dinis à rainha Isabel de Aragão em 1282. Caminhe pelas ruelas, visite as lojas de artesanato e não vá embora sem provar a “ginjinha com elas”, um licor de ginja, um tipo de cereja, com elas, as cerejas, dentro da garrafa.

Praticamente toda portinha serve a bebida em copinhos de chocolate. De lá, rode 37 quilômetros (boa parte pela A-8) rumo a Alcobaça, para começar uma seqüência de visitas a tesouros de Portugal decretados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Fica na cidade a maior igreja do país, fundada em 1153: o Mosteiro de Santa Maria (Praça 25 de Abril, 351/262-505-120; € 4,50). Na nave central, estão os túmulos dos amantes Pedro e Inês. O casal protagonizou uma das mais famosas e trágicas histórias de amor em Portugal, que culminou com a morte de Inês a mando do pai de Pedro, então rei de Portugal. Os túmulos estão um de frente para o outro a pedido de Pedro – para que Inês fosse a primeira pessoa que ele visse na eternidade. O interior do mosteiro também pode ser visitado, com seus cômodos de teto abobadado que se abrem para um claustro. Próxima parada: Batalha, a 20 quilômetros, com acesso pela N-8, seguida da IC-2. No coração da cidade fica o espetacular Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Praça Mouzinho de Albuquerque, 351/244-765-497; € 4,50), erguido depois da vitória dos portugueses em Aljubarrota, pequena cidade a 3 quilômetros dali, em 1385. Ocupa, com toda a imponência manuelina, a praça principal da cidade. Nos fundos ficam as capelas imperfeitas, oitavadas, nunca concluídas.

O próximo belo legado da arquitetura portuguesa fica em Tomar, mas antes uma sugestão de pit-stop: Fátima, a exatos 19 quilômetros pela N-356. Mesmo quem não é católico de carteirinha vai-se emocionar nesse que é um dos principais pontos de peregrinação religiosa do mundo desde a aparição de Nossa Senhora às três crianças, em 1917. Erguido na Cova da Iria, a região exata onde aconteceu o milagre, o Santuário (351/249-539-600, santuário-fatima.pt) recebe cerca de 4 milhões de devotos todos os anos. Ali, numa área duas vezes maior que a Praça de São Pedro, no Vaticano, há a pequenina Capela das Aparições e a grandiosa basílica, de 1953, onde estão enterrados os três pastorinhos. Há missas ao longo do dia.

O ponto final é o Convento de Cristo (351/249-313-481; € 4,50), em Tomar, 32 quilômetros adiante, pela N-113. Ele foi erguido no século 12 pela Ordem dos Templários, à qual pertenceu Pedro Álvares Cabral. Sombrio, grandioso e rico em detalhes, tem como principal atração um oratório dourado e repleto de pinturas e afrescos, além de uma janela manuelina com motivos marítimos. Arremate o roteiro esticando até os arredores da cidade de Mealhada. É um puxão de 150 quilômetros, mas vale a pena. A região também é ponto de peregrinação – não de religosos, mas de gourmets e gourmands do mundo inteiro, em virtude da maneira de preparar um simples leitão. A receita é básica: a carne é temperada com uma mistura de sal, alho e pimentas. Mas, dizem os especialistas, o segredo está na lenha, feita de videira. Entre os mais de 300 restaurantes que se enfileiram pelas ruas, o mais tradicional é o Pedro dos Leitões (Apartado 8, 351/231-209-950; Cc: todos), que tem mais de 50 anos. O leitão vale o esforço da esticada. 4. Arredores de Lisboa - Vilas de reis e rainhas.
Quando o Tejo encontra o mar, Lisboa é sucedida por uma série de cidadezinhas na costa, uma emendada na outra. Siga pela Marginal, admire a paisagem e vá até Estoril, a 26 quilômetros da capital. A cidade tem um centro bonitinho, mas o que domina a paisagem é o caixote do Casino Estoril (351/214-667-700, casino-estoril.pt). Deixe a praia para mais adiante, em Cascais, a próxima parada. São apenas 3,5 quilômetros pela mesma Marginal até lá. Estacione o carro, perca-se pelas ruas do centrinho e alugue uma bicicleta para sentir o astral do lugar na pele. Basta um documento original para pegar uma de graça nos quiosques da prefeitura espalhados por pontos estratégicos do centro. Uma longa ciclovia segue pela beira-mar até a famosa Praia do Guincho, uma das mais bonitas do país. No caminho, pare na Boca do Inferno para admirar o visual do mar azul batendo lá embaixo, nas falésias avermelhadas. Curta o dia com calma e prepare-se para ver o pôr-do-sol no Cabo da Roca, a 16 quilômetros pela N9-1, seguida pela N-247. “Donde a terra se acaba e o mar começa”, como escreveu Camões em Os Lusíadas, o Cabo da Roca é o ponto mais ocidental da Europa, uma falésia 140 metros acima do mar, onde o sol morre docemente.

De lá há duas opções: seguir mais 15 quilômetros pela N-247 até Sintra e passar a noite por lá, ou voltar para Lisboa e continuar o percurso no dia seguinte. Quem fizer a primeira opção terá a chance de dormir numa das cidadezinhas mais especiais de Portugal, onde a família real costumava se refugiar nos meses de verão. Sintra, declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1995, está geograficamente na mesma posição de Cascais, mas no alto da serra. A estada terá gostinho especial se você pernoitar no Lawrence’s (Rua Consigliéri Pedroso, 38-40, 351/219-105-500, lawrenceshotel.com; diárias de € 245 a € 398; Cc: todos). Um dos mais antigos hotéis da Península Ibérica, inaugurado em 1764, era o preferido de Eça de Queiroz, que sempre se hospedava lá em suas longas incursões por Sintra. O escritor ficava sempre no mesmo quarto e gostava de comer quase sempre a mesma coisa: lascas de bacalhau.

Quase dois séculos depois, é possível hospedar-se naquele mesmo quarto e experimentar seu prato preferido no restaurante do hotel. Decidiu ficar? É imperdível conhecer pelo menos dois cartões-postais: o Palácio da Pena (Estrada da Pena, 351/219-105-340; € 4; fecha às segundas), no alto da serra, e o Palácio Nacional (Largo Rainha Dona Amélia, 351/219-106-840; € 4; fecha às quartas), no centrinho da vila. O primeiro foi construído no século 19 para dom Fernando, ou dom Fernando II para os portugueses, o marido de dona Maria II. Do lado de dentro dá para ter uma noção de como a família real vivia ao passar pelos ambientes decorados exatamente como eram à época. O segundo, bem mais antigo, foi construído por dom João I no século 14. É famoso pelas enormes chaminés brancas que podem ser avistadas praticamente de qualquer canto da cidade. Lá dentro, são especiais a Sala dos Brasões e a dos Cisnes.

Antes de pôr o pé na estrada novamente, não deixe de provar os deliciosos travesseiros na confeitaria Piriquita (Rua das Padarias, 1, 351/219-230-626; fecha às quartas), na ladeira em frente ao palácio. Depois, pegue a N-247 e rume para Ericeira, a 22 quilômetros, uma vila branquinha banhada por um trecho abençoado da costa, onde rolam boas ondas para o surfe. Já começando a voltar, rode mais 11 quilômetros para conhecer o sensacional Palácio de Mafra (Terreiro de dom João V, 351/261-817-559, € 4; fecha às terças), um convento barroco erguido durante o reinado de dom João V, no século 18. E feche o circuito na pequenina Queluz, a cerca de 40 quilômetros, onde a principal atração é o Palácio de Queluz (Largo do Palácio, 351/214-343-860; € 4; fecha às terças), que conta a história da família real que foi para o Brasil no início do século 19. Lá estão os aposentos de Carlota Joaquina e o quarto onde nasceu e morreu o nosso dom Pedro I. as sua identidade, seu coração, me parece longe disso. A melhor Lisboa é antiga e aconchegante. A clássica. A do Castelo de

São Jorge. Depois de reconquistar a cidade dos mouros em 1147, o rei Afonso Henriques fez desta cidadela a residência dos reis portugueses. Em 1511 ele foi abandonado para ser restaurado no fim dos anos 30, durante a ditadura de António Salazar. Dali se vêem o Tejo e o casario. O bairro de Santa Cruz, dentro das muralhas, seus moradores jogando gamão, é como uma aldeia encastelada. Ainda no bairro da Alfama, gasto alguns minutos no miradouro de Santa Luzia para olhar Lisboa de um ângulo tão favorável: do alto.
É muito fácil andar por Lisboa. Não apenas por ela ter o tamanho certo. Mas porque estamos em uma das primeiras capitais européias a ganhar um planejamento urbanístico.Outubro de 2003

Junto ao TejoUm dos lugares mais renovados de Lisboa é a antiga área do 1 Cais da Pedra (veja as indicações no mapa na página 42), entre o Rio Tejo e a estação Santa Apolônia. Antigos armazéns portuários hoje abrigam lojas e restaurantes que dão aula de design. No chamado Armazém B, há uma mistura bem inusitada. Lá está a Sneakers, tel. 882-2855, uma loja de tênis desses para usar à noite, na badalação. Ao fundo, a FactoLab, tel. 882-2898, é o mais agitado salão de cabeleireiros de Lisboa. Um restaurante, ao lado, domina a cena: é o Bica do Sapato, tel. 881-0320, com três ambientes diferentes – cafeteria, sushibar e o salão propriamente dito, que serve comida mediterrânea “contemporânea”. Desde a inauguração, o sucesso já estava garantido pela força de um de seus sócios: o ator John Malkovich. Não é difícil deixar 50 euros lá, por cabeça.Mas, se você prefere não falir em euro, a Pizzaria Casanova, tel. 887-7532, fica ao lado. É gira (gíria para coisa bacana): você é obrigado a ingressar pelos fundos, pela cozinha, para entrar no “espírito” do lugar. As mesas são comunitárias, de dez lugares. Sem bebidas, gasta-se em torno de 15 euros.No Armazém B há ainda algumas lojas de móveis e objetos sofisticadas: a Nord e a

Loja da Atalaia. Esta última tem peças de mobiliário e decoração assinadas por alguns dos mais importantes designers do mundo. Para os turistas, a melhor opção para compras é mesmo a Nord, tel. 882-1045, que vende pequenos objetos de decoração e utensílios com muito bom gosto e preços acessíveis.Ao lado, em outro velho armazém, o A, a Lux, tel. 882-0890, é hoje a grande atração da noite de Lisboa. Uma discoteca com três ambientes, com pista de dança no térreo, num espaço amplo e escuro. No primeiro piso fica o lounge, com sofás, mesas e paredes altas onde são projetados filmes e clipes. Alguns dos principais djs europeus passam pela casa durante o ano.O “k” no lugar do “c” arrepia até quem não se preocupa muito com a língua portuguesa. Mas a 2

Adega Kais , Cais da Viscondessa, perto do Cais do Sodré, tel. 393-2930, com seu espaço grandioso na parte de cima e uma adega escura com clima de taberna na parte inferior, vale a visita. Há um rodízio com 20 pratos portugueses. Velas em imensos castiçais iluminam e dão clima ao ambiente. O rodízio sai por 17 euros. No cardápio tradicional, gastos de 40 euros, em média, por cabeça. Internet - É possível acessar gratuitamente a Internet em bibliotecas públicas e nos locais onde há sedes do IPJ, Instituto Português da Juventude. O tempo de uso costuma ser restrito a 30 minutos, mas, enfim, é de graça.