Palermo

 

 


Teatro Massimo
Construído entre 1875 e 1897 em estilo neoclássico pelos palermitanos Giovan Battista e Ernesto Basile. A majestosa escadaria da entrada é onde foi filmada a cena fi nal de O Poderoso Chefão 3.

 

Praias
As melhores ficam nos arredores, como Mondello, a 11 quilômetros, Sferracavallo, a 16 quilômetros, perfeita para almoçar, e Capo Zafferano, a 24 quilômetros.



Palazzo Dei Normanni
Abriga uma versão menor dos mosaicos de Monreale em sua Cappella Palatina, que fica no primeiro andar do palácio. Iniciada por Ruggero no ano 1130, quando foi coroado, tem forma de basílica e mo...



Mercados
Os mercados ao ar livre de Vuccirìa (perto da igreja de San Domenico), Capo (atrás do Teatro Massimo) e Ballarò (no bairro da Albergherìa) vendem todos os tipos de frutas, verduras e outros alim...

 

Jardins
O Orto Botanico (Via Lincoln, 2, 091/623-8241, ortobotanico.palermo.it; 9h/17h, fecha 19h no verão; € 5) tem uma impressionante figueira e árvores raras. Visite o jardim de inverno e passeie pel...


Igrejas
A Cattedrale di Palermo (Via Vittorio Emanuele, 091/334-373 e 329-397-7513; 2ª/Sab 7h/19h, dom 8h/13h e 16h/19h) e a San Giovanni degli Eremiti (Via dei Benedettini, 3, 091/651-5019; 2ª/sáb 9h/1...


Centro Histórico
A maioria das atrações está concentrada no centro. Visite a Fontana Pretoria, uma das fontes mais bonitas da Itália, na Piazza Pretoria. Ao lado fica o Quatro Canti, intersecção das ruas Maqueda...

 

No centro da Palermo antiga, o Quattro Canti é uma interseção barroca que demarca os quatro bairros originais de Albergheria, Capo, Vucciria e La Kalsa, que há 400 anos eram entidades separadas. Passeie por qualquer um dos quatro.

O Albergheria e Vucciria têm mercados cheios de vida, que mudaram pouco em um século – e você se verá em um labirinto de ruelas estreitas e becos e poderá se deparar com uma barbearia de antes da guerra, uma igreja barroca ou uma grandiosa piazza.

A interseção Quattro Canti é em parte formada pela Via Maqueda, que corta a cidade na direção norte, passando pelo enorme e recém-reformado Teatro Massimo (Piazza Verdi, 091 605 3555, ligação gratuita para reservas 655 858, www.teatromassimo.it, fecha seg), um ícone cultural da Palermo do fim do século 19 e a terceira maior casa de ópera da Europa.

O eixo leste-oeste é traçado pelo Corso Vittorio Emanuele. No final dele estão duas atrações obrigatórias: a Cappella Palatina, no palácio normando, e a catedral. O Palazzo Reale ou Palazzo dei Normanni (Piazza Indipendenza, 091 705 7003; 091 705 6001, fecha ter, qui) era uma das mais elegantes cortes da Europa Medieval.

Adaptada pelos normandos modernistas a partir do original palácio sarraceno, seu ponto alto, a catedral – também um dos principais pontos turísticos da cidade – é a Cappella Palatina (fecha ter, qui). Construída entre 1132 e 1143, antigamente era uma capela privada de Ruggero II. Seu interior é todo trabalhado e é um ótimo exemplo do trabalho manual dos árabes e normandos, observado nos entalhes do teto e nos padrões do mármore do piso.

Do início do reinado de Ruggero II, em 1130, até a morte de Federico II, em 1250, a Palermo medieval multirracial floresceu. Os monarcas foram enterrados na catedral, a poucos metros do Palazzo Normanni, que é uma miscelânea de estilos adicionados a partir do estilo normando do século 12.

Entre outras atrações estão o luxuoso oásis verde do Orto Botânico (Via Lincoln 2B, 091 623 8241, fecha sab e dom à tarde), onde há uma grande variedade de plantas exóticas, e o excelente Museu Arqueológico (Viale della Libertà 52, 091 611 6805).

Depois dos tribunais (trials) dos anos 1980, do assassinato de dois juízes antimáfia em 1992, e da matança entre as gangues em meados da década de 90, Palermo é sinônimo de máfia para muitas pessoas. Mas, embora sejam responsáveis pela negligência que tomou conta da cidade no pós-guerra, a cidade não está mais nas mãos dos maus, e é improvável que o turista veja algum sinal da presença da máfia na cidade.

• Informações turísticas: Piazza Castelnuovo 35 (091 605 8406).