Guia de Turismo

O desempenho do bom profissional é, sem dúvida, o cartão de visita de qualquer empresa ou empreendimento. Saiba mais sobre esta profissão:
Como ser um Guia de Turismo?
 
Para se tornar um Guia de Turismo, você deve fazer um curso de QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO EM GUIA DE TURISMO. Escolas Técnicas Profissionalizantes (estaduais e municipais), Escolas Particulares e SENAC oferecem esses cursos.
 
Após terminar o curso e ser aprovado, deverá dirigir-se à Secretaria de Turismo do Estado para solicitar a credencial de Guia de Turismo; Você poderá associar-se à AGCTUR, entidade legalmente constituída e representativa da classe.
Qual a diferença entre Guia de Turismo e Guia Turístico?
 
Há uma diferença grande entre um termo e outro.
» Guia de Turismo é o Profissional que acompanha e explica os atrativos;
» Guia Turístico é o roteiro impresso, com informações dos passeios;
É uma gafe chamar um Guia de Turismo de Guia Turístico.
Agora você já sabe, o profissional que vai lhe orientar em seu passeio é um Guia de Turismo, certo?
Quais as categorias de Guias de Turismo?
 
Conforme a formação profissional e as atividades desempenhadas comprovadas no Decreto 946 de 1º de Outubro de 1993, o Guia de Turismo é cadastrado nas seguintes categorias:
• GUIA REGIONAL: quando das suas atividades compreender a recepção, o traslado, o acompanhamento, a prestação de informações e assistência a turistas, em itinerários ou roteiros locais ou intermunicipais de uma determinada unidade da Federação, para visita a seus atrativos turísticos;
• GUIA DE EXCURSÃO NACIONAL: quando das suas atividades compreender o acompanhamento e a assistência a grupos de turistas durante todo o percurso da excursão de âmbito nacional ou realizada na América do Sul, adotando em nome da agência de turismo responsável pelo roteiro, todas as atribuições de natureza técnica e administrativa necessárias à fiel execução do programa;
• GUIA DE EXCURSÃO INTERNACIONAL: quando das suas atividades compreender as atividades do Guia de Excursão Nacional para os demais países do mundo;
• GUIA ESPECIALIZADO EM ATRATIVO TURÍSTICO: quando das suas atividades compreender a prestação de informações técnico-especializadas, sobre determinado tipo de atrativo natural ou cultural de interesse turístico, na unidade da Federação para o qual o mesmo se submeteu a formação profissional específica.
Exemplo prático:
Um Guia de Turismo Regional Paraná só poderá atender grupo dentro do Estado do Paraná. Um Guia de Turismo Nacional não poderá ser Guia Regional nas cidades onde visitar atrativos turísticos, mas sim acompanhar o grupo do seu estado para outras regiões do país (acompanhante). Chegando nas cidades é obrigatória a contratação do Guia Regional de cada Estado.
Crachá de Identificação do Guia de Turismo
 
Todo Guia de Turismo deve cadastrar-se, obrigatoriamente no Ministério do Turismo. A credencial de Identificação atesta a competência e credenciamento do Guia e dá credibilidade ao profissional.
No crachá, feito de material especial para evitar falsificações, está impresso o nome, o número do cadastro, idiomas, categoria em que está cadastrado e prazo de validade da credencial.
 
 
TURISTA, EXIJA ESTA IDENTIFICAÇÃO.
 
A pessoa que atender grupo sem esta identificação estará no exercício ilegalmente e sujeita às penalidades da Lei.
Todo Guia de Turismo deve portar, obrigatoriamente, sua credencial, de forma visível. Com isso, estará oferecendo maior segurança, confiabilidade, prestígio e credibilidade no atendimento ao turista