Estudar na Austrália

 

Estudar na Austrália ou Nova Zelândia???

 

Quando decidimos estudar no exterior, levantamos em nossas vidas várias questões a serem resolvidas.

Primeiro precisamos escolher qual tipo de curso, pois se foi o tempo que estudar no exterior era apenas High School. Hoje os cursos estão bem mais elaborados e específicos:

Regulares, combinados, para adolescentes, para 3ª idade, para executivos, para professores, preparatórios para exames, intercambio em família ....  Uma infinidade de opções para você.

Depois de escolher o tipo de curso, você tem que escolher o tipo de acomodação que deseja para sua estadia: Casa de família, acomodações estudantis, no campus, albergue, hotel ou repúblicas, são muitas as opções, mais, sempre recomendo ficar em Home stay (casa de família). Em minha opinião, os alunos que optam por esta estadia tem mais oportunidade de conhecer e viver a cultura e hábitos locais, que vivem verdadeiramente a experiência de está naquele país, pois vai ficar imerso no dia a dia daquela família.

Então vem a questão principal: O destino.

O mundo é grande, as opções são muitas, mais nós vamos nos concentrar na seguinte pergunta: Austrália ou Nova Zelândia???

 

Austrália:

A terra dos cangurus e dos coalas, a Austrália é uma ilha-continente do outro lado do mundo, o maior país da Oceania, ex-colônia da Inglaterra é hoje umas das mais ricas nações do mundo, e também um dos destinos preferidos de mochileiros e estudantes. Clima parecido com o nosso, tem muitas praias bonitas e surfáveis, paisagens maravilhosas, hospitalidade, liberdade, multiculturalismo, diversão e agito.

A moeda local tem um câmbio melhor do que o dólar americano, o que torna a viagem mais barata.  Além disso, é também um dos poucos lugares que permitem que o estrangeiro trabalhe enquanto estuda no país.

Apesar de seguir um grande número de regras e leis, sua população é tranquila e bem-humorada. A maioria leva um estilo de vida “relax”. Em geral, a galera veste-se de forma descontraída, com bermudas, camisetas e chinelos ou até descalço.

A maior parte dos moradores vive na costa. A variedade geográfica e climática no território australiano vai do calor de "Outback" (nome dado ao imenso deserto localizado na região central) até as geleiras das "Snowy Mountains" (montanhas de neve), a pouco mais de uma hora de Camberra, capital do país. Eis uma verdadeira terra de aventureiros, rica em esportes radicais e também belezas naturais.

A Austrália conta com muitos Cursos diferentes para estudantes de outros países e é conhecida pela qualidade de ensino que oferece em todas as áreas. Para cursos de mais de 3 meses, o departamento de Imigração Australiano exige Visto de Estudante, que além de custar bem mais caro, tem muito mais exigências burocráticas. O Curso escolhido tem que ter obrigatoriamente mais de 12 semanas de duração, e a frequência às aulas são obrigatórios e controlados. Se faltar mais do que 80% das aulas sem justificativa médica, poderá acarretar o imediato cancelamento do Visto, além de um convite compulsório para deixar a Austrália o mais breve possível. Para os cursos de menos de três meses, não há necessidade de um Visto de Estudante, pois o Visto de Turista basta. Você poderá se matricular em qualquer tipo de curso, seja ele para estudantes internacionais ou para Australianos. Também não terá obrigação de frequência às aulas.

 As Universidades são distintas com relação a ter um ensino mais ou menos puxado para o aluno. Universidades são obrigadas a contratar somente pessoal acadêmico com formação nas matérias ministradas, seja ela Inglês ou qualquer outra, enquanto os outros cursos podem tanto contratar acadêmicos como qualquer profissional do mercado.  As matérias podem ser as mesmas, mas a reputação, localização, instalações e qualidade de ensino das escolas, continua sendo um importante fator ao se contratar um curso e investir tamanho capital

Grande número de Brasileiros vão para Austrália, e isso pode ser bom ou ruim, dependendo de como você encarar a situação. Alguns gostam, e até preferem estar com patrícios, o que garante boa socialização, e minimiza o impacto de estar em um país estrangeiro. Outros preferem manter certa distância de compatriotas por achar que evitando-os, a integração com os Australianos e o aprendizado do Inglês, se dará de forma mais rápida. Um terceiro grupo gosta do convívio e da socialização esporádica com compatriotas, porém procura se comunicar somente em Inglês para praticar o idioma. Seja qual for sua preferência, com certeza você terá a oportunidade de fazer muitos amigos Asiáticos em sua sala.

 

Nova Zelândia

È uma longa viagem de 20 horas do Brasil à Nova Zelândia, mais, vale muito a pena! Ao desembarcar na terra dos kiwis, um pássaro típico da região, o cansaço fica de lado. Você já se encanta com o clima tropical, a hospitalidade da população e a bela paisagem favorável aos esportes radicais. Além disso, o país tem uma moeda com valor de câmbio mais barato do que outros destinos e não impõe tantas barreiras para se obter o visto de entrada.

 

A Nova Zelândia está dividida em duas grandes ilhas (Norte e Sul), com tamanho total equivalente ao estado brasileiro do Rio Grande do Sul, lá você vai encontrar um estilo de vida tranquilo, que privilegia o contato com a natureza. Também constam trilhas de mata fechada em parques nacionais, escalada em grandes montanhas glaciais e descida de corredeiras.  Experimente pular de bungee jump, invenção (claro!) de um neozelandês. Esportes aquáticos, como a vela, também são tradicionalíssimos.

Preferida dos jovens, a Nova Zelândia conta ainda com ensino de excelência. Respeitadas internacionalmente pelo desempenho acadêmico e de pesquisa, as oito universidades federais neozelandesas oferecem cursos de graduação e pós-graduação nas mais variadas áreas. As cidades mais populosas são Wellington (a capital) e Auckland, a preferida dos estudantes estrangeiros. Ambas ficam na ilha norte. Mas o lado sul é igualmente atrativo. Lá residem as não menos aprazíveis Queenstown e Christchurch. Como o país foi uma exceção à colonização europeia, a cultura do povo de origem, os “maoris”, é preservada até hoje em museus e nas ruas.

Apesar de isolada do outro lado do mapa-múndi, a Nova Zelândia está entre os países desenvolvidos, faz parte do primeiro mundo.

Uma vantagem de estudar na Nova Zelândia é que desde 2005, quem estudar lá por mais de 6 meses em um curso fulltime, poderá trabalhar legalmente por até 20 horas semanais. Esse incentivo facilita o turismo para esses estudantes e possibilita que conheçam melhor suas belezas naturais e as excelentes instituições de ensino do país. Outra grande vantagem é o custo de vida em relação a outros destinos, pois apesar de mais barato a cidade oferece excelente estrutura e tem seus cursos reconhecidos nos Estados Unidos, Europa e até na Austrália como de altíssima qualidade.

Um país pequeno, sem stress do dia dia das grandes cidades, com ar puro e lindas paisagens e com um baixíssimo número de criminalidade o país oferece segurança e tranquilidade aos alunos, o que tem levado mais de 90.000 estudantes anualmente a este destino.

 

A escolha é difícil, mais para quem deseja fazer algo novo, conhecer novos costumes e adquirir muita cultura ... Esses são destinos certeiros !!!

 

Verônica Nicoletti – www.tudodeturismo.com.br