Pernambuco

 

Pernambuco... Quanta História Pra Contar!!!

Em cada cantinho que passamos, distraídos com as belezas, charme e curiosidades de uma metrópole praiana, num vai e vem de pessoas com objetivos e programações diferentes, encontramos lugares históricos preservados e somados a uma natureza caridosa e muito farta.

 

Pois é... Recife, capital do estado, cresceu tanto que tem pernambucano ficando meses sem ver o mar, esquecendo que mora no paraíso, deixando passar desapercebidas tantas coisas boas que essa terra tem pra dar e tantas histórias que tem pra contar:

Pernambuco foi uma das primeiras áreas no Brasil, nasceu na Vila de Olinda, fundada por Duarte Coelho em 1535.

Com mão de obra escrava, os portos de Recife recebiam navios negreiros, e por décadas, Recife foi usada apenas como porto, até que, em 1630, os holandeses invadiram Pernambuco, atrás da riqueza da cana-de-açúcar. As terras planas de Recife favoreciam esse tipo de cultivo e eram um achado para os holandeses.

Benditos holandeses, que junto com seus interesses nada favorável ao nosso povo, deixaram muito desenvolvimento, cultura e benefícios para Pernambuco.
Muito mais caprichosos e dedicados para com a cidade, o conde Maurício de Nassau assumiu o governo das possessões holandesas no Brasil e liderou uma revolução urbanística na cidade, planejando ruas e construindo várias pontes.

Com a vinda de paisagistas e engenheiros europeus, a cidade de Recife tomou ares de metrópole, com obras vistas até hoje. Em 1654, os holandeses foram expulsos de Recife, porém, nessa época, ela já era uma linda cidade e importante rota comercial.  Hoje Recife preserva suas construções históricas com muito zelo.

 

Em Recife você encontra várias surpresas como: A Torre do Zeppelin localizada no bairro do Jiquiá, uma antiga estação de atracação dos dirigíveis Zeppelin, que fizeram as suas viagens ao Recife a partir de 1930.

É atualmente a única estação de atracação de dirigíveis no mundo preservada em sua estrutura original.

 

A Casa de Detenção de Recife, contruída em 1848, em estilo neoclássico, foi construído em forma de cruz, usando o princípio do Panopticon, ficando as celas dispostas em alas que podiam ser vigiadas facilmente a partir de uma sala central. Em 1973 , foi desativada e depois de algumas reformas, sem desvirtuar o projeto original, o prédio da Casa de Detenção passou a abrigar, em 1974, a Casa da Cultura de Pernambuco, centro de artesanato, com lojas de pintura, bordado, ceramicas, esculturas barrocas, jóias, confecções, comidas típicas etc.

 

Uma outra visita fascinante é ao Mercado São José, uma mistura de aromas, sabores e cultura, lá se tem a oportunidade de esperimentar a típica cozinha popular pernambucana, pratos como buchada de bode, sarapateu, sururu, tapiocas, cocadas, bolos especiais como o bolo de rolo e o delicioso bolo Souza Leão, este  ,na culinária de Pernambuco, é tão nobre quanto a família dos Souza Leão que o batizou, formada por senhores de engenho dos municípios de Jaboatão, Moreno e vizinhanças. Não se permitia servi-lo em qualquer utensílio. A tradição obrigava o uso de pratos de porcelana ou cristal.

No mercado você vai comer em um pratinho de plástico e, garanto a você, não muda nada o indescritível sabor. Uma outra forma de experimentar esta especiaria é ir a Casa dos Frios, a receita deles é imbatível.

O Mercado São José é a mais antiga construção pré-fabricado em ferro no Brasil, vindo da Europa no final do século XIX, inspirado no Mercado de Grenelle em Paris.

Saindo dos  bairros de Santo Antônio e São José, onde também estão lugares imperdíveis como o Recife Antigo, Capela Dourada e outros,  passamos na Ponte Agamenon Magalhães, a mais comprida da cidade, com 424 metros. Passando pelo Rio Capibaribe, chegamos a Praia do Pina, com o seu grande areal tomado por jangadas e banhistas. Aqui começa a avenida Boa Viagem, que margeia a praia também chamada de Boa Viagem.

 

Um mar cravado de arrecifes que formam centenas de piscinas naturais com suas águas quentes, protegendo os banhistas das ondas e solavancos do mar aberto.

A praia por sua vez, tem areias branquinhas, vegetação rasteira e coqueirais que enfeitam toda sua extensão.

Em Boa Viagem estão a maioria dos hotéis e o maior shopping de Recife e é a referencia de boa localização para quem vai a Recife.

Na Praça de Boa Viagem acontece diariamente feirinha de artesanato, onde também se podem provar várias delícias da cozinha nordestina.

Saindo de Recife, 60 Km ao sul encontramos a famosa praia de Porto de Galinhas, famosa por suas belezas, receptividade e também por abrigar os maiores e mais luxuosos resorts de Pernambuco.

No século XV o lugar era moradia dos índios Caetés, onde predominava o tráfico do pau-brasil até o final do século XVI, depois o lugar foi abandonado porque os índios bloquearam a saída de madeira e açúcar do lugar, mas no século XVIII com o desembarque clandestino de escravos, a movimentação retornou ao lugar.

Também no litoral sul estão as praias de Calhetas, impressionante beleza e Serrambi,  praia tipicamente de veranistas, praias que não tem o agito de Porto de Galinhas, um lugar para  descansar, relaxar e curtir a natureza, ótima para uma boa caminhada no final da tarde, ou para um delicioso banho nas piscinas naturais formadas pelos recifes de corais, que dão o charme a essa praia.  

Coladinha em recife, no litoral norte, está Olinda, Patrimônio Histórico da humanidade, com suas 365 igrejas, uma para cada dia do ano.

 

Beirando suas calçadas estão os casarios antigos, que hoje são morada de artistas e poetas, uma cidade  que reúne história e alegria, realidade do passado e muita fantasia em suas comemorações e festas de carnaval.

 

O Carnaval de Olinda, hummmm.... que delícia, esse ainda está no passado, lutando com todas as forças para se manter lá, com o charme das orquestras, blocos e clubes tradicionais, com seus foliões fantasiados e procurando alguém por quem se apaixonar..... Subindo a ladeira atrás dos blocos, descendo a ladeira atrás de um amor ..... Assim se passa o melhor carnaval do mundo, regados a romantismo, caipiruvas, caipirango .... fantasias, aromas, sorrisos e brincadeiras que encantam.

Olinda também tem natureza, um mar zangado que briga diariamente com os dick´s para invadir a cidade, muitas quadras já foram consumidas pelo mar. Nas praias ao norte águas quentinhas, coqueirais e bares a beira mar. Seguindo ao norte está a Ilha de Itamaracá, com o garboso Forte Orange, construído pelos holandeses no lado sul do Canal de Santa Cruz, bem no encontro do canal com o Mar. Uma beleza !!! De lá da para pegar uma carona em uma jangada de pescador para Coroa do Avião, um pedacinho do céu que está próxima da divisa da Paraíba. Tem 500 x 100 m, que é o suficiente para abrigar uma paisagem maravilhosa e um lindo pôr-do-sol. 

Quando a maré está baixa, é possível caminhar até a praia do Mangue Seco. Quando o mar sobe, os barcos navegam em torno da ilha.

Ainda em Itamaracá está Vila Velha, antiga sede da capitania hereditária, hoje um recanto escondido para os amantes da natureza. Um charme de lugar que da até frio na barriga só de olhar, lugarzinho escondido e repleto de casinhas antigas.

Recife  possui diversos monumentos de grande significado histórico e arquitetônico no contexto nacional.

  • Capela Dourada
  • Igreja do Santíssimo Sacramento
  • Basílica e Convento de N. S. do Carmo
  • Igreja de S. Pedro dos Clérigos
  • Igreja da Madre de Deus
  • Igreja de N. S. da Conceição dos Militares
  • Igreja de N. S. da Conceição (Capela da Jaqueira)
  • Igreja de N. S. do Rosário dos Homens Pretos
  • Igreja de N. S. do Terço
  • Oficina de Francisco Brennand
  • Casa da Cultura
  • Museu do Homem do Nordeste
  • Museu Arqueológico e Geográfico de Pernambuco
  • Museu do Estado
  • Museu do Trem
  • Mercado de S. José
  • Praça da República
  • Forte do Brum
  • Pátio de S. Pedro
  • Rua da Aurora
  • Horto Zoobotânico de Dois Irmãos:
  • Faculdade de Direito do Recife
  • Forte das Cinco Pontas
  • Ponte Maurício de Nassau
  • Ponte Velha
  • Ponte da Boa Vista
  • Diário de Pernambuco
  • Rio Capibaribe
  • Academia Pernambucana de Letras

Bem, Pernambuco tem infinitos lugares e histórias para mostrar, com mais de meio século de evolução cultural, a cidade adora receber visitantes, seu povo tem prazer e orgulho de receber o resto do Brasil. Sei disso porque sou uma pernambucana, recifense que anda a vinte anos pelo mundo, que passei por lugares famosos e cheios de cultura, passagens inesquecíveis da minha vida que a cada suspiro me faziam lembrar que tenho um lugar meu, um lugar lindo e definitivamente meu lugar. Pernambuco é minha terra, e por mais que não esteja lá a carrego por onde eu vou, pois é pra lá que um dia vou voltar.

Texto de Verônica Nicoletti (Autora do livro: Turismo - Guia para Profissionais e Viajantes - Editora Rúbio) Publicação prevista para Dezembro 2008. www.tudodeturismo.com.br