San Francisco para quem vai visitar

02/04/2014 19:30

 

São Francisco (em inglês e castelhano San Francisco) é uma cidade e um condado dos Estados Unidos da América, localizada no Estado da Califórnia, famosa por sua vida cultural e por ser centro do movimento pelos direitos dos homossexuais.

Localizada na região norte da Califórnia. São Francisco é a quarta maior cidade do Estado de Califórnia e é uma das maiores cidades da costa pacífica dos Estados Unidos e possui mais de 4,1 milhões de habitantes em sua região metropolitana, que aumentam para aproximadamente 7,2 milhões de habitantes, em conjunto com a região metropolitana de São José, localizado a 60 quilômetros sudeste de São Francisco.

São Francisco possui várias atrações turísticas mundialmente conhecidas, como a Ponte Golden Gate e a antiga prisão de Alcatraz.
Se uma pesquisa fosse feita para escolher a cidade americana mais agradável e que melhor impressiona aos visitantes, São Francisco provavelmente levaria o título. Ela não parece em nada com uma cidade típica americana, e justamente aí reside a diferença. Colinas cobertas por simpáticas residências construídas em estilo vitoriano, ruas arborizadas com algo de cidade do interior, uma baia de águas azuis, uma ponte pênsil pintada de cor laranja, bondinhos circulando pelas ruas com campainhas que fazem tlim-tlim, tudo isto envolto por um clima de descontração que faz a gente perceber que algo aqui é diferente dos outros lagares.
Ladeada pelo Oceano Pacífico e pelas águas da San Francisco Bay, a cidade espalha-se em torno de 42 colinas, e entre elas estão regiões tão diferentes quanto suas comunidades. Desde North Beach, o recanto italiano, até Nob Hill local de belas mansões. Desde a tranqüilidade de Pacific Heights, passando pelo agito do Embarcadero até o ecleticismo da Castro Street, coração da San Francisco gay, e ainda Haight Ashbury, famosa nos anos 60 como capital do movimento Flower Power, ou ainda Chinatown. Clique sobre a foto ao lado para vê-la em alta definição.
San Francisco é um lugar onde falsos moralismos não tem vez, e que recebe bem à todos, independente das preferências religiosas, sexuais ou culturais de cada um. Comece sua visita conhecendo por um de seus principais símbolos, o conjunto de seis casas vitorianas da Teiner Street, frente à Alamo Square. Estas belos sobrados, são os únicos remanescentes do grande incêndio que destruiu quase toda cidade, e tem a honra de serem o segundo local mais fotografado de San Francisco, logo depois da Golden Gate.
O prédio central em formato de agulha, batizado de TransAmerica Pyramid é o principal ícone arquitetônico do centro financeiro de San Francisco, mas na verdade nunca chegou a fazer páreo para os símbolos autênticos de Frisco, os milhares de sobrados coloridos que enfileiram-se como dominós ao longo das ladeiras da cidade. Um bom local para se apreciar este conjunto é do mirante situado no alto da Coit Tower.
Para saber o que está acontecendo na cidade pegue um exemplar do SF Weekly ou Guardian, duas publicações semanais grátis que listam tudo que está acontecendo em Frisco.

Market Street, principal avenida comercial da cidade. Por aqui, pode-se dizer, é onde San Francisco menos se parece com... San Francisco. Ao longo desta avenida, principalmente próximo as esquinas com Powel e Stockton estão localizadas as principais loja de departamento, bancos, bares, restaurantes, teatros, cinemas e diversas outras atrações.
Coit Tower, para chegar lá siga em direção à Telegraph Hill, ao longo da rua Lombard. Quem estiver de carro pode subir direto, mas vai ter que esperar um pouquinho para estacionar, já que o número de vagas no local é limitado. Inaugurada em 1933, a torre é obra de Lillie Hitchcock Coit, magnata filantropo que decidiu construir este observatório num local elevado com o objetivo de ajudar o trabalho dos bombeiros, pois havia ficado muito impressionado com o terremoto e conseqüente incêndio que arrasou a cidade em 1906. Não se sabe se a torre ajudou de fato ao trabalho dos bombeiros, mas em pouco tempo ela havia se transformado num dos pontos turísticos mais famosos da cidade, além de fornecer uma vista inigualável de sua plataforma superior. Em frente à torre está situada uma estátua de Cristóvão Colombo.
O bondinho puxado por cabos subterrâneos - um sistema único no mundo - é uma das maiores atrações turísticas de San Francisco. Das oito linhas originalmente existentes, agora só restam três, e mesmo assim, porque a população não permitiu que eles fossem extintos. Na verdade mesmo, para andar nestes Cable Cars é necessária muita paciência, não tanto pelo tempo de trajeto, mas sim pelo tempo médio para se esperar na fila de embarque. Em dias e horários de muito movimento, o tempo de espera na fila pode chegar a duas horas.

Uma das razões para a espera ser tão longa é que os bondes são pequenos e levam pouca gente. A outra razão é que todo mundo que vem à San Francisco não admite nem sequer pensar em não fazer este passeio. Os trajetos são curtos, e em cerca de 15 minutos você de um extremo ao outro das linhas. Mesmo assim é preciso reconhecer que o passeio é uma delícia, principalmente para quem viaja na parte aberta ou nos estribos, o que torna a viagem bem mais emocionante. Se quiser uma dica, evite embarcar nos pontos finais, onde todo mundo espera para viajar sentado. O ideal é caminhar até um pouco adiante, e pegar o Cable Car numa de suas paradas. Como muita gente desce pelo meio do caminho é muito mais fácil arranjar lugar desta forma. O ponto terminal do bondinho próximo ao Fisherman's Wharf, onde uma plataforma giratória permite ao bonde fazer o retorno.
Para conhecer melhor o estranho sistema de tração destes bondes - eles são literalmente arrastados pelas ruas graças a um engenhoso sistema de cabos subterrâneos - Não deixe de visitar o Cable Car Museum, onde estão situadas as imensas roldanas e onde é gerada a energia para mover todos os bondes da cidade. Mas lembre que como a cidade costuma ser fria, um passeio noturno no Cable Cars deve ser acompanhado de um bom casaco.
 A Union Square pode ser considerada como o centro do centro e em seu contorno estão diverso restaurantes, bares, cafés, dezenas de estabelecimentos comerciais, lojinhas de souvenir, etc etc. O nome original da praça, dado em 1941, foi escolhido como homenagem às tropas que lutaram pela manutenção da união do país durante a guerra civil. Durante um tempo a região era antro de mendigos e desabrigados, mas após a recente reforma toda área foi muito valorizada e agora a Union Square tem palcos para shows, cafés descolados e serve de local de encontro para jovens e trabalhadores que vem comer seus sanduíches de almoço nos bancos da praça. Cercada de lojas elegantes e hotéis de luxo, esta é agora uma das áreas mais nobres do centro.
Um restaurante tão original quanto saboroso, o Lori's Diner. Com decoração inspirada nos típicos diners do anos 50, o Lori's serve pratos fartos, saborosos e de bom preço. 
A ponte Golden Gate é o principal cartão postal da cidade, e quem quiser vê-la de um bom ângulo tem duas boas alternativas: Embarcar num dos passeios marítimos que zarpam de hora em hora dos cais do Fishermans Wharf e que costumam passar por baixo da ponte, ou então visitar o Golden Gate National Recreation Area. Este parque, um dos recantos mais bonitos da cidade, é formado por uma sucessão de áreas verdes, simpáticas residências à beira mar, penhascos, estradinhas serpenteando por entre área ajardinadas e por lá estão diversos recantos onde se pode parar e apreciar a vista da entrada da baía emoldurada pela Golden Gate.
A Golden Gate foi inaugurada em maio de 1937. Até então muito se falava na construção de uma ponte sobre a entrada da baía, ligando San Francisco ao município de Marin, situado ao norte, mas a baía tinha águas geladas, uma corrente fortíssima e todo mundo julgava impossível uma obra deste porte num local de condições tão difíceis. Sua construção durou quatro anos, e custou 35 milhões de dólares, uma fortuna para a época. O projeto adotado, ao estilo Ponte Suspensa com um vão de 1280 metros, permaneceu um recorde mundial durante 27 anos. Ela tem duas torres centrais com altura de 223 metros e dispõe de cinco pistas de trânsito situadas 130 metros acima da água. Com uma pintura característica vermelho alaranjada, a ponte é desde então o principal símbolo da cidade. 
Embora a cidade não seja grande, caminhar por San Francisco exige preparo físico. A sucessão de subidas e descidas em toda parte podem tornar uma caminhada curta numa prova de resistência. Um dos pontos de maior inclinação é Lombard Street, no trecho situado entre as ruas Hyde e Leavenworth. Ela é conhecida como a Rua mais torta do mundo, e aqui seu trajeto é todo em zig zag, descendo desde o alto da colina Russian Hill e fazendo 10 curvas fechadas em apenas uma quadra. Se você pretende percorrê-la a pé, é preferível descer na estação superior do bondinho e ir descendo até a rua.
Chegou a hora do almoço e você não sabe onde ir? Fácil, ao longo da avenida Columbus, no bairro North Beach você vai encontrar dezenas de simpaticíssimos restaurantes italianos, alguns simples, com mesinhas nas calçadas, outro sofisticados onde todo mundo veste paletó e gravata.
Muito se diz que São Francisco, devido ao clima frio e quase sempre ventoso não é um local recomendado para praia. Mesmo assim, a cidade tem seus dias quentes e convidativos à praia, e se você por acaso estiver lá num destes dias e quiser pegar umas ondas, tomar um banho de mar no Oceano Pacífico ou simplesmente caminhar pela areia, venha para cá. Separadas das casinhas coloridas por uma avenida dupla, uma vegetação rasteira e dunas de areia, está uma praia quase deserta que estende-se por quilômetros, e à qual é quase impossível resistir.
Vista de uma área residencial nobre, próxima ao Golden Gate National Recreation Area. Por aqui estão as melhores residências da cidade, em meio à tranqüilidade de colinas cobertas de vegetação. A melhor forma de percorrer esta área à leste do centro é de carro, mas se você não tiver um veículo próprio pode pegar uma das excursões diárias que percorrem os pontos mais conhecidos da cidade. Além dos pontos centrais, incluídos na maior parte dos roteiros, também vale a pena visitar, perto daqui, o Palace of Fine Arts e o Palace of the Legion of Honor.
O Fisherman's Wharf já é uma lenda da cidade. Na beira da baía, este antigo atracadouro de pescadores agora é um ponto turístico animadíssimo, com diversos restaurantes, museu de cera e lojinhas de todo tipo. Um painel redondo  demarca o centro desta região. Quase sempre abarrotado de turistas circulando de um lado para outro, a única desvantagem do Fisherman's Wharf as vezes é a dificuldade para caminhar pelas calçadas, tal é a multidão que vem para cá, principalmente aos fins de semana. Mesmo assim, em termos turísticos este é o hot point da cidade e aqui se encontram coisas para todos os gostos, desde lojas de malha, passando por artigos eletrônicos até barraquinhas vendendo casquinhas de siri. Se estiver por aqui na hora do almoço, experimente o restaurante The Franciscan. Ele está há décadas no mesmo lugar, já é um ponto tradicional da cidade, e serve uma comida ótima. Além de tudo, você vai almoçar ou jantar tendo à sua frente a vista soberba da baia de San Francisco.
Painted Ladies. Esta é uma das regiões residenciais mais simpáticas da cidade. Para compras em shoppings você vai precisar de um carro, pois os grandes malls estão afastados da zona central. Vá até o Serramonte Center, situado em Daly City, pouco ao sul de San Francisco. Basta seguir toda vida pela estrada 280, ou 1, e você passará ao lado dele. Quem preferir ficar por aqui mesmo também pode ir até a avenida Van Ness, à oeste do centro e que também concentra uma grande variedade de boas lojas. Ao contrário de outras cidades americanas, um carro em San Francisco não é algo tão imprescindível assim.
Entre as principais atrações turísticas da cidade, figura em destaque o Pier 39, com a vantagem adicional de estar situado à beira mar. Inicialmente um simples cais de pescadores o Pier 39 foi transformado num parque de diversões sobre as águas, onde estão ainda bares, restaurantes, exposição de animais marinhos, lojinhas vendendo artigos típicos, etc etc. Outro ponto famoso e bem próximo do Pier 39 é a Ghirardelli Square, antiga fábrica de chocolates, transformada num complexo de lojas, restaurantes, atrações diversas e claro, muito chocolate da melhor espécie.

Uma visita imperdível é China Town, o bairro chinês de San Francisco, na prática um dos maiores bairros chineses do país. A partir do pórtico existente na Grant Street, e ao longo das ruas Grant e adjacentes, você vai encontrar praticamente uma filial da china. Restaurantes, bares e padarias oferecendo desde Cake Moons e Patos Laqueados até iguarias chinesas menos conhecidas entre os ocidentais. Também vai encontrar livrarias, lojas de música, artesanato, artes, e principalmente, muita gente de olhinhos puxados. Aliás, para ver gente de olhos puxados, você não precisará ir até o bairro chinês. Praticamente em qualquer local de San Francisco encontra-se um percentual altíssimo de moradores com traços orientais, e as vezes a gente tem a impressão de estar não nos Estados Unidos, e sim na China, Japão ou Coréia.
Na região à beira mar, entre o Pier 39 e o Fisherman´s Wharf existem dezenas de barcos oferecendo roteiros pela baía de San Francisco, ou então passeios mais longos, em mar aberto. Um passeio típico de uma hora inclui passar por baixo da Golden Gate e circular a ilha de Alcatraz, que funcionou como prisão de segurança máxima até 1963, e teve como um de seus hóspedes mais famosos o gângster Al Capone. Os passeios oferecidos pelas frotas da Red & White (partindo do pier 41) e os oferecidos pela Blue & Gold (pier 39) são feitos em embarcações maiores, mas em compensação custam o dobro do preço cobrado pelas embarcações menores que zarpam do lado e percorrem o mesmo roteiro. Para quem preferir há também passeios noturnos, sendo que alguns incluem jantar a bordo.
 Se você está de passagem marcada para a California, não deixe de reservar alguns dias para conhecer esta cidade tão especial. San Francisco é um lugar que sabe agradar a todos, seja qual for seu interesse ou disposição. É animada e intimista, cosmopolita e provinciana, grande e pequena ao mesmo tempo, conforme o momento ou o lugar. Ou seja é exatamente igual a qualquer um de nós. E principalmente, tem tanta personalidade que nem parece apenas uma cidade, e sim uma pessoa. Aquela pessoa especial que a gente conhece um dia numa viagem e nunca mais esquece.
aos que estão a caminho de San Francisco e são marinheiros de primeira viagem,algumas dicas ao chegar no aeroporto:

1. se você está vindo sozinho, a melhor forma de ir para o hotel é usando os

servicos de shuttle(van service). Vai sair entre $10 e $15. O motorista espera

receber uma gorjeta de $1 a $2.

 Os servicos de shuttle  sao:

Lorries - van vermelha

SuperShuttle- van azul 

Apos pegar a sua bagagem, va ao piso superior, onde estao as vans. Normalmente

eles esperam a van encher para sair. Alem disso, podem ter varias paradas ate chegar

ao seu destino.

Antes de embarcar, nunca eh demais perguntar quanto vai custar e quanto tempo

demora para a van sair...

2. se você está vindo em grupo, talvez o taxi seja uma boa opcao, jah que o custo

total serah dividido. Uma corrida ateh o hotel deve sair em torno de $30 a $35, mais

10% de gorjeta.

Na Powell St com a Market St tem o San Francisco Convention and Visitors Bureau,

onde vc pode pegar mapas, cupons de desconto, guias, calendário de eventos, etc...

Se vc planeja passear pela cidade, recomendo antes dar uma passada lá.

Voltar